Ibama confirma que Brasil enfrenta invasão de pássaros predadores e considerados praga

·1 min de leitura

RIO — O Brasil enfrenta oficialmente uma invasão de estorninhos, um pássaro predador e considerado uma praga. A certificação da presença desses animais ocorreu nesta quinta-feira, em nota publicada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

De acordo com o órgão ambiental, os pássaros da espécie Sturnus vulgaris estão até o momento com a presença restrita aos municípios fronteiriços ao Uruguai.

"Por se tratar de um processo em estágio inicial, o Ibama está reunindo informações sobre a biologia e extensão da espécie. Sendo assim, foram iniciadas tratativas com instituições de pesquisa e demais setores do Poder Público que possuem competência na matéria, a fim de adotar medidas coordenadas para a detecção precoce de ocorrências, controle e comunicação social", diz a nota do Ibama.

A ave é considerada invasora e predadora de pequenos animais, como besouros, centopéias, borboleta e mariposa, larvas, gafanhotos e grilos. Esses pássaros também se alimentam de frutas e costumam ficar próximos de granjas. Como vivem em bandos, quando se estabelecem em um local dificilmente é possível removê-los.

Os estorninhos também causam prejuízos em fazendas, pois consomem as rações dos animais, modificam o habitat e devastam plantações.

Outro motivo de preocupação diz respeito à transmissão de doenças. Os estorninhos estão associados à bactéria Escherichia coli, que provoca gastroenterite com diarréia intensa e com muco ou sangue de humanos. A ave também transmite paratuberculose para bovinos e salmonela aviária com infecção em humanos, aves e gado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos