Ibama restringe contato de funcionários com imprensa após reportagem sobre exportações de madeira

Por Jake Spring
Madeiras extraídas da Amazônia na região de Morais Almeida (PA)

Por Jake Spring

BRASÍLIA (Reuters) - O Ibama publicou nesta quinta-feira uma portaria que restringe o contato entre funcionários do órgão e jornalistas, um dia após a Reuters noticiar que milhares de carregamentos de madeira foram exportados a partir de um porto na Amazônia sem autorização da agência.

A portaria, publicada no diário oficial e assinada pelo presidente do Ibama, Eduardo Bim, indica que o contato com repórteres precisa ser realizado apenas por meio da assessoria de imprensa do órgão ou por um representante indicado pela assessoria.

A norma instrui chefes de departamentos e outros líderes da agência a impor as regras e relatar qualquer conhecimento de contatos com jornalistas.

A Reuters noticiou na quarta-feira, citando pessoas com conhecimento direto do assunto, que milhares de carregamentos de madeira foram exportados de um único porto na Amazônia no ano passado sem autorização do Ibama, tendo como destinos Estados Unidos e Europa.

Após o problema vir à tona, Bim alterou as regulamentações do Ibama para eliminar a necessidade de que a agência autorize exportações, rejeitando um relatório à parte elaborado por analistas do Ibama, de acordo com um documento interno visto pela Reuters.

Na ocasião, o Ibama respondeu às perguntas da Reuters sobre a situação com uma descrição técnica detalhada do atual processo de exportação de madeira, sem mencionar a necessidade anterior de uma autorização separada da agência.

(Por Jake Spring)