Ibaneis e Arruda empatam na disputa ao governo do DF, aponta pesquisa Quaest

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O atual governador do Distrito Federal e pré-candidato à reeleição, Ibaneis Rocha (MDB), detém 28% das intenções de voto, contra 25% do ex-governador José Roberto Arruda (PL), que acaba de restabelecer seus direitos políticos. Os dados divulgados neste domingo pela pesquisa Quaest, contratada pelos Diário Associados, indicam quadro de empate técnico entre os dois nomes, considerando que a margem de erro é de 2,5 pontos percentuais para mais ou para menos.

Após decisão liminar: Entrada de Arruda na disputa no DF acirra concorrência por palanque de Bolsonaro

Aliança MDB e PSDB: Divergências nos estados esfriam atuação de Tasso na campanha de Tebet

O cenário inclui todos os pré-candidatos ao governo na disputa. Ambos chegam a empatar numericamente em outros cenários, mas sempre dentro da margem de erro. Eleito na esteira de candidatos outsiders em 2018, Ibaneis tem hoje como principal adversário na pré-campanha o ex-governador Arruda, que recuperou os direitos políticos após decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Arruda foi condenado por corrupção e chegou a ser preso no âmbito da Operação Caixa de Pandora, em 2009. Em maio, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) André Mendonça acolheu argumentos da defesa de Arruda e anulou uma condenação do ex-governador em ação resultante da Caixa de Pandora segundo a qual o ex-governador havia oferecido dinheiro para uma testemunha mentir em depoimento.

Uma decisão liminar (provisória) do Superior Tribunal de Justiça (STJ), na última semana, restabeleceu os direitos políticos de Arruda sob o argumento de que ainda é preciso esperar a palavra final sobre quem pode ser beneficiado com as mudanças que afrouxaram a Lei de Improbidade Administrativa. A situação deve ser resolvida no próximo dia 3 de agosto, quando o STF vai julgar se as novas regras têm efeito retroativo, ou seja, se valem para réus condenados antes das alterações, aprovadas em outubro do ano passado.

Em cenários de segundo turno, Ibaneis aparece numericamente à frente de Arruda, com 41% a 38%, mas há empate técnico também. As eleições no Distrito Federal ainda podem ser consideradas abertas porque 61% dos entrevistados disseram que suas escolhas não são definitivas, contra 38% que afirmam ter certeza de suas intenções de voto.

Manobra: Aliança de Damares com Ibaneis escanteia casal Arruda no Distrito Federal

As coincidências entre os dois postulantes ao Palácio Buriti não param nos primeiros dados da Quaest. Ibaneis e Arruda são conhecidos e rejeitados nos mesmos patamares: o atual governador é conhecido por 96% dos eleitores brasilienses, e rejeitado por 48%; enquanto Ibaneis é conhecido por 95% e rejeitado por 49%.

Em terceiro lugar, o senador José Antônio Reguffe (União Brasil) aparece com 11%, empatado dentro da margem de erro com a senadora Leila Barros (PDT), com 9%. O senador Izalci Lucas (PSDB) está em quinto no levantamento, com 5%. E o deputado distrital Leandro Grass (PV) aparece em seguida com 4%. Outros pré-candidatos tiveram resultados máximos dentro da margem de erro.

Bolsonaro e Lula empatam

No cenário presidencial, o Distrito Federal mostra Bolsonaro numericamente à frente do ex-presidente e pré-candidato pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva, por 36% a 32%, ambos empatados dentro da margem de erro. Ciro Gomes (PDT) vem em terceiro com 9%. Simone Tebet (MDB) e André Janones (Avante) têm 2%, e os outros pré-candidatos não passam de 1%. Em cenário de segundo turno, novo empate entre Bolsonaro (42%) e Lula (40%), com 2% indecisos e 15% dizendo que votarão nulo, branco ou pretendem não comparecer no dia da eleição.

O diretor da Quaest, Felipe Nunes, destaca que a polarização nacional não se reflete nos votos no Distrito Federal.

— Embora o eleitor de Bolsonaro esteja votando mais em Ibaneis (38%), o eleitorado de Lula se divide entre os dois, o de Ciro também. A polarização local tem outra razão — avalia.

A pesquisa Quaest ouviu 1.500 eleitores e está registrada no TSE com os números DF-08227/2022 e BR-04749/2022.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos