IBM libera uso gratuito de suas patentes para combate ao coronavírus

Sérgio Matsuura

RIO - Dona de um dos maiores acervos de patentes do planeta, a IBM anunciou a liberação de todo o seu portfólio para uso gratuito no desenvolvimento de tecnologias que ajudem no diagnóstico, prevenção, contenção ou tratamento do novo coronavírus. A medida inclui registros de propriedade em campos como inteligência artificial, onde a companhia é uma das líderes globais com o Watson, e até mesmo na área de vírus biológicos.

Segundo a companhia, o compromisso engloba mais de 80 mil patentes e pedidos já registrados, além de qualquer novo pedido apresentado até o fim de 2023. Pesquisadores, empresas e instituições interessados em revisar as patentes disponíveis podem pesquisar nos bancos de dados públicos do Escritório de Patentes e Marcas dos Estados Unidos.

“Para se comprometer em não reivindicar patentes de entidades que as utilizam na luta contra o coronavírus, a IBM está se juntando ao Open Covid Pledge, que convida organizações a disponibilizarem sua propriedade intelectual gratuitamente para uso no combate à pandemia e na minimização do impacto da doença”, afirmou Mark Ringes, conselheiro jurídico da IBM, em comunicado.

Entre as patentes disponibilizadas gratuitamente pela IBM estão as de inteligência artificial, incluindo as tecnologias por trás do IBM Watson. O sistema se tornou mundialmente conhecido no início da década, após vencer competidores humanos num programa de TV americano de perguntas e respostas. Hoje, o Watson oferece diversos serviços em nuvem.

Mas além do campo da tecnologia, a companhia possui uma patente que descreve agentes antivirais, incluindo moléculas com atividade contra um amplo espectro de vírus, como dengue, H1N1 e coronavírus. Outra patente descreve uma tela sensível ao toque que usa luz ultravioleta para desinfecção. Existem ainda algoritmos que preveem a duração e o alcance de eventos, incluindo epidemias.

27 anos na liderança

A IBM é considerada a companhia mais inovadora do mundo em termos de registro de propriedade intelectual. Apenas no ano passado a companhia conquistou 9.262 patentes, se mantendo pelo 27º ano consecutivo na liderança do ranking das empresas com maior número de patentes concedidas pelo Escritório de Patentes e Marcas dos EUA. A segunda colocada foi a Samsung, com 6.469 registros.

“A nossa esperança é que, ao tornar nossa tecnologia mais disponível, possamos fornecer ferramentas valiosas para que inovadores em todo o mundo possam ajudar a conter o avanço da Covid-19 e a nos preparar melhor para desafios semelhantes que iremos enfrentar no futuro”, afirmou Ringes.