Ibovespa tem alta firme, com ajuda de exportadoras e à espera de decisões sobre juros

·2 minuto de leitura

RIO — Os mercados globais apresentam estabilidade nesta quarta-feira após a gigante do setor imobiliário chinês Evergrande anunciar um acordo para compensar parte de suas obrigações financeiras. Com isso, as atenções se voltam para as reuniões de política monetária no Brasil e nos Estados Unidos.

Por volta de 10h30, o índice Ibovespa tinha alta de 1,64%, aos 112.062 pontos, ajudado pelo desempenho positivo de empresas ligadas às commodities.

No mesmo horário, o dólar operava em baixa de 0,05%, negociado a R$ 5,2822.

Nos Estados Unidos, a expectativa é saber se os dirigentes do Federal Reserve, Banco Central americano, irão dar início a algum movimento para a retirada dos estímulos lançados na economia desde o início da pandemia.

A redução da compra de ativos, o chamado “tapering”, até o final do ano já é esperada. A dúvida, agora, é sobre o calendário dessa retirada, que deve ocorrer de forma gradual.

"Além do comunicado e das falas de Powell, o Fomc deverá divulgar o resumo de suas projeções, onde o mercado deve calibrar as expectativas com a alta de juros na maior economia do mundo", destacaram analistas da Guide Investimentos, em nota matinal.

No caso brasileiro, espera-se que o Comitê de Política Monetária (Copom) eleve a taxa básica de juros em 1 ponto percentual a fim de conter o descontrole das metas de inflação para os próximos anos. Hoje, a Selic está em 5,25%.

O mercado deve buscar sinalizações no comunicado da autoridade monetária sobre até que patamar a elevação da Selic pode chegar este ano.

No cenário interno, ainda estão no radar as discussões sobre o impasse dos precatórios no Congresso. As sinalizações de respeito ao teto de gastos vistas na terça-feira animaram os investidores.

Exportadoras têm recuperação

Entre as ações, as ordinárias da Petrobras (PETR3, com direito a voto) subiam 3,24% e as preferenciais (PETR4, sem direito a voto), 2,86%.

As ordinárias da Vale (VALE3) avançavam 5,15% e as da Siderúrgica Nacional (CSNA3) 7,06%.

As preferenciais da Usiminas (USIM5) tinham alta de 7,77% e da Gerdau (GGBR4), 5,84%.

O alívio sobre a situação da Evergrande também ajudou na cotação do minério de ferro. A commodity avançou 3,7% na bolsa de Dalian, negociada a US$ 103,38. No porto de Qingdao, a alta foi de 16,84%, cotada em US$ 108,70

No setor financeiro, as preferenciais do Itaú (ITUB4) e do Bradesco (BBDC4) subiam 1,47% e 2,15%, respectivamente.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos