Ida de Ciro Nogueira para Casa Civil abre espaço para Flávio Bolsonaro em CPI da Covid

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Senador Flávio Bolsonaro
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - A ida do senador e presidente do PP, Ciro Nogueira (PI), para o comando da Casa Civil deflagrou uma dança das cadeiras na CPI da Covid do Senado, abrindo espaço para o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), primogênito do presidente Jair Bolsonaro, fazer parte da comissão de inquérito que tem fustigado o governo federal.

Até o momento Flávio Bolsonaro vinha participando esporadicamente da CPI sem ser membro efetivo. Agora passará a ser suplente da CPI.

Houve uma triangulação. Ciro Nogueira era titular da CPI, mas, com a ida para o governo, a sua vaga passou a ser ocupada pelo correligionário Luiz Carlos Heinze (RS), antes suplente. Ato contínuo, se definiu Flávio Bolsonaro para ocupar a cadeira do senador gaúcho.

Os trabalhos da CPI --interrompidos durante o recesso de julho-- têm sido um dos principais focos de preocupação do governo, devido ao avanço de investigações sobre suspeitas de irregularidades na compra de vacinas contra Covid-19.

O governo tem minoria no colegiado, que deverá retomar as atividades na próxima semana com depoimentos.

A própria ida de Ciro Nogueira --expoente do centrão-- para o governo é tida como uma das apostas do governo para melhorar sua relação com o Senado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos