Idol de K-pop faz doação a hospital em SP e planeja presentear fãs brasileiros com música composta em isolamento no Brasil

Louise Queiroga

O Dia das Crianças na Coreia do Sul, comemorado em 5 de maio, inspirou o cantor sul-coreano Kim Sungchan, mais conhecido como Spax, ex-integrante do grupo de K-pop BLANC7, a doar 100 unidades de máscaras e quatro caixas com álcool gel ao Hospital Infantil Darcy Vargas, em São Paulo. Desde março em terras brasileiras, o idol explicou, em entrevista ao EXTRA no último fim de semana, que sentiu vontade de fazer algum tipo de contribuição para marcar a data.

— No dia 5 de maio foi o Dia das Crianças na Coreia. Queria ajudar as crianças de alguma forma. Por isso que fiz a live na noite do dia 4 aqui que ia dar certinho o dia 5 na Coreia — afirmou, acrescentando que foi orientado pela produtora Storyvent, que é a responsável pelos eventos dele no Brasil.

Aliás, a turnê de Spax pode até não ter saído da forma como ele esperava, considerando o avanço cruel da pandemia de coronavírus no país e, em especial, em São Paulo, onde foi registrado maior número de mais casos confirmados de Covid-19 e também de mortes em decorrência dessa doença. No entanto, este cenário fez com que o artista sul-coreano estabelecesse uma relação mais íntima com as pessoas. Ele ressaltou que, no Brasil, ele se sente em casa.

— O Brasil é um país que eu já visitei quatro vezes. Me sinto em casa. E os brasileiros são bem calorosos. Recebo muito amor — ressaltou o artista, que pretende ficar no país até agosto. — As fãs brasileiras são bem ativas e calorosas. Diferente das fãs de outros países. Elas me dão muito amor.

 

Além disso, revelou que compôs uma música durante o isolamento social e garantiu que a lançará em breve, como um presente aos fãs brasileiros. Splax se mostrou otimista ao dizer que planeja concluir os encontros com fãs, chamados fanmeetings, até o fim de sua estadia, cujos momentos mais marcantes foram o K-Block da Storyvent, em São Paulo, e os eventos em Fortaleza e Recife, realizados antes dos casos de coronavírus se alastrarem.

— Se essa pandemia passar... — completou. — Faltam quatro cidades ainda. Não vou embora daqui até concluir todos os fanmeetings. Estou prestes a lançar uma nova música que eu gravei durante o isolamento. Quero presentear para as fãs brasileiras.

Quanto à vida artística de uma forma geral, Spax contou que a melhor parte é "que você recebe muito amor das fãs". Já o maior desafio "seria....", disse ele, "tentar desenhar o meu futuro que é incerto ainda. Quero crescer mais".