Idosa de 79 anos é mordida por tubarão em Ubatuba, confirma instituto

·2 min de leitura

RIO- O Instituto Argonauta, ligado ao Aquário de Ubatuba, confirmou nesta quinta-feira o segundo acidente envolvendo uma mordida de tubarão a acontecer na região em menos de duas semanas. No dia 14 de novembro, uma idosa de 79 anos se banhava nas águas da Praia Grande quando sentiu a mordida do animal. O biólogo e pesquisador da Unesp Otto Bismarck Gadig confirmou se tratar de um ferimento causado por um tubarão.

A vítima é de Minas Gerais e estava em Ubatuba em viagem com a família para o feriado da Proclamação da República. Segundo a prefeitura, ela foi levada para a Santa Casa, onde foi atendida e depois liberada.

De acordo com o laudo do Instituto, a mordida causou uma lesão pouco profunda de cerca de 20 centímetros na perna. A mordida deve também cunho investigativo por parte do animal, segundo o documento.

Leia Mais:

No dia 3 de novembro, um turista francês sofreu um ferimento semelhante enquanto frequentava a praia do Lamberto, na mesma cidade. De acordo com seu relato, ele sentiu a mordida enquanto estava nadando e após ter avistado um cardume de peixes. No momento, a vítima recebeu atendimento médico e já se encontra em seu país de origem. Dias depois, o Instituto Argonauta confirmou se tratar de uma mordida de tubarão. Foi o primeiro episódio envolvendo esse animal em 32 anos a acontecer na cidade.

Segundo o oceanógrafo Hugo Gallo Neto, presidente do Instituto Argonauta e diretor do Aquário de Ubatuba, o mar da região conta com diferentes espécies de tubarões em suas águas. No entanto, acontecimentos como esses são raros. Inicialmente, o Instituto chegou a dúvidar que o caso do dia 3 de novembro envolvesse um tubarão, mas mudou de opinião diante das evidências coletadas

Segundo o Instituto, a presença desses animais na costa pode estar atrelada a busca por alimentos, e fenômeno similar estaria acontecendo com baleias, que estariam sendo mais avistadas na região nos últimos anos. No entanto, o Instituto Argonauta ressalta que é ainda cedo para afirmar o motivo por trás do aparecimento desses animais.

O Instituto afirma que as pessoas não precisam deixar de frequentar o mar, mas deu recomendações de como se prevenir:

▪ Ficar sempre em grupo. Os tubarões normalmente atacam banhistas solitários

▪ Não se afastar demasiadamente da praia, onde estará isolado e longe de assistência

▪ Não avançar para águas muito profundas, não ultrapassando, de preferência, o ponto onde alcança pé▪ Evitar nadar de manhã cedo e ao final da tarde, quando os tubarões são mais ativos

▪ Não entrar na água, se estiver sangrando de um ferimento

▪ Não usar jóias brilhantes ao entrar na água

▪ Não bater constantemente na água e evitar banhar-se com pequenos animais

▪ Não nade em meio a cardumes de peixes ou onde as pessoas estão pescando

▪ Evite nadar quando a água estiver muito turva

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos