Idosa chora ao falar de preço dos alimentos: ‘a gente não sabe mais o que fazer’

·2 minuto de leitura
Aposentada dá entrevista em supermercado de Maceió. Foto: Reprodução
Aposentada dá entrevista em supermercado de Maceió. Foto: Reprodução
  • Aposentada deu entrevista e vídeo circulou pelas redes sociais

  • Preço dos alimentos cresce desde o início da pandemia

  • “A gente não consegue comprar mais carne, pois o dinheiro não dá”.

Um vídeo de uma senhora aposentada viralizou nas redes sociais. Suzete Maria da Silva concedeu uma entrevista à emissora Globo enquanto passava suas compras no caixa de um supermercado em Maceió na última quarta-feira (14). Nas imagens, a idosa chora ao falar sobre o preço dos alimentos, que a impede de comprar inclusive itens essenciais.

“Está tudo muito caro, a gente não sabe mais o que fazer, vem fazer compra e não sabe o que comprar. A gente não consegue comprar mais carne, pois o dinheiro não dá. Eu sou aposentada e continuo trabalhando”, lamentou Suzete.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Leia também

Internautas se comoveram com o depoimento da aposentada e o vídeo circulou nas redes sociais. Muitos, inclusive, lembraram da fala do ministro da Economia Paulo Guedes em março deste ano. “Entro no supermercado, as pessoas me agradecem”, disse o ministro à época.

Aumento do preço dos alimentos

A situação de Suzete é vivida, infelizmente, por muitas famílias brasileiras. O IPCA, que mede a inflação de preços ao consumidor amplo, subiu 8% nos últimos 12 meses. Só no primeiro semestre de 2021, o aumento foi de 3,77%. Entre os itens que mais subiram estão a carne, que teve um aumento de 7,25% nos últimos meses. Muitas famílias substituíram a carne por frango e ovo, mas os produtos também tiveram um aumento de preço de 7%.

O problema é global. Em todo o mundo o preço dos alimentos estão no maior nível em mais de seis anos, puxados por vários fatores, como custos da soja, óleo de palma, demanda da China, cadeias de suprimento vulneráveis e clima adverso.

O Brasil é um dos cinco países com aumento mais expressivo. Em 2020, o arroz subiu 76%, enquanto o leite e a carne bovina subiram mais de 20%.

Em março, o IBGE informou que desde o início da pandemia do novo coronavírus, o preço dos alimentos subiu 15% no país, quase o triplo da taxa oficial de inflação do período, que ficou em 5,20%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos