Idosa é resgatada após 32 anos de trabalho análogo à escravidão em MG

O caso aconteceu em uma cidade do interior de Minas Gerais com menos de 20 mil habitantes. (Foto: Getty Creative)
Mulher foi resgatada de trabalho análogo a escravidão em uma cidade do interior de Minas Gerais que conta com menos de 20 mil habitantes. (Foto: Getty Creative)

Uma idosa de 63 anos de idade foi resgatada em condições análogas à escravidão em Nova Era, cidade do interior de Minas Gerais. A mulher trabalhou por 32 anos para uma mesma família sem receber pagamentos ou benefícios e sem direito a folgas nos fins de semana. De acordo com o portal "Metrópoles", a mulher ainda tinha a aposentadoria confiscada pelos patrões.

A vítima foi libertada por auditores-fiscais do Ministério Público do Trabalho que fizeram uma operação conjunta depois de receberem uma denúncia anônima em fevereiro deste ano.

A idosa não contava com uma carga horária delimitada e ainda fazia tarefas domésticas em duas residências que ficavam em um mesmo lote. Além disso, a mulher era encarregada de cuidar de dois idosos.

A identidade da mulher não foi revelada pelas autoridades. Ela foi levada para ser cuidada por parentes e será acompanhada pela assistência social do município, que tem menos de 20 mil habitantes.

Denuncie

Se você desconfiar que alguém está sendo submetido a trabalho em condições degradantes, sem direito a folgas ou a pagamento, denuncie! Submeter uma pessoa a trabalho forçado é crime considerado a versão contemporânea da escravidão.

A denúncia pode ser feita de forma anônima pelo sistema Ipê, do governo federal (Sistema de Denúncias DETRAE/SIT (trabalho.gov.br). É importante repassar a maior quantidade possível de informações para que haja uma fiscalização mais eficaz.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos