Idoso é suspeito da morte de brasileiro após festa com 'sexo e drogas', na Itália

A polícia da província de Padova, na Itália, identificou Gianclaudio Dalla Benetta, de 71 anos, como principal suspeito da morte de Gabriel Dias Luiz da Silva, de 27. O jovem brasileiro foi encontrado sem vida nesta quinta-feira, com um saco na cabeça, em um apartamento onde na noite anterior houve uma festa com álcool, drogas e sexo.

Tortura, estupros, rostos desfigurados: suposto serial killer teria atacado pelo menos dez garotas de programa, diz polícia de Goiás

Suzane von Richtofen e Guilherme de Pádua: saiba motivo de eles saírem da prisão antes do fim das sentenças

Gianclaudio e Gabriel tinham um relacionamento amoroso, de acordo com a imprensa local. O idoso, um consultor financeiro aposentado, admitiu em depoimento que encontrou o brasileiro morto após uma noitada com participação de outras pessoas.

Aos policiais, Gianclaudio explicou que Gabriel acordou, mas sentiu uma indisposição após o café da manhã. Na versão do suspeito, o brasileiro "passou mal, tomou uns remédios e voltou para a cama". A vítima teria passado mais de 24h sozinha no quarto, até que o italiano o achou morto.

— Pensei que estivesse dormindo — afirmou Gianclaudio. Foi o próprio italiano quem ligou para o serviço de emergência.

Uma investigação foi aberta para apurar os fatos. O primeiro passo na elucidação das circunstâncias da morte foi dado pela Seção de Investigação Científica, que vasculhou o apartamento enquanto Gianclaudio era encaminhado para depor.

Os policiais também tentam identificar quem mais passou pelo imóvel no dia da festa. Os agentes apreenderam os celulares da vítima e do suspeito, além de um notebook. Um exame toxicológico também foi realizado.

Gabriel frequentava o apartamento de Gianclaudio, tinha as chaves do imóvel e era visto pelos vizinhos regularmente, conforme apurou o "Corriere Della Sera". Os dois mantinham um relacionamento desde 2019, quando se conheceram, e os contatos ficaram mais assíduos nos últimos meses.