Idoso de 71 anos tenta passar para universidade pública pela 20ª vez no Enem

·2 min de leitura

Resumo da notícia

  • Hélio Lopes de Oliveira é veterano ao tentar prestar a prova mais concorrida do país;

  • Hélio diz já ter feito a prova do Enem 20 vezes;

  • Ele trabalha como sorveteiro, mas vê nos estudos uma oportunidade de crescer na vida

Por tradição, Enem é associado a jovens. De fato, cerca de 30% dos inscritos têm entre 21 e 30 anos, quando vão tentar a prova para o acesso a uma universidade pública do país. Mas neste domingo, entre os que madrugaram nos portões onde o exame está sendo realizado, estava Hélio Lopes de Oliveira, 71 anos, que foi para a PUC-Minas. Ele é veterano em todos os sentidos. Desde 2012, Hélio tenta ingressar no ensino superior. Ele conta que se formou no ensino médio em 2011 e começou a fazer o Enem já no ano seguinte. Em sua nova tentativa, conta o que pretende fazer desta vez para obter uma boa nota. 

— Se Deus abençoar é pra eu continuar estudando. Se não for pra ser, não sei se vou fazer de novo ano que vem. Mas vou continuar estudando. Minha família toda parou, mas eu continuei — disse Hélio, que não revelou o curso que tem em vista porque aguarda a bênção divina para decidir seu futuro.

Hélio diz já ter feito a prova do Enem 20 vezes, contando os dois domingos de exame. Ele trabalha como sorveteiro, mas vê nos estudos uma oportunidade de crescer na vida.

— Eu gosto muito de estudar. Minha 

esposa parou na quarta série, mas eu fico ensinando pra ela.

Sonho de estudar

Já Maria do Socorro Carvalho, que preferiu deixar a idade em segredo, está fazendo a prova pela terceira vez. A senhora, que está tentando o vestibular para administração, tem um só um conselho para os mais jovens. “Estudem, estudem e estudem!”.

— Na segunda vez eu demorei pra fazer as respostas e acabou não dando tempo. Mas hoje eu estou inspirada e vai dar certo. Depois eu vou estar aqui dando entrevista pra vocês falando que passei — brincou.

Maria fez só até o quarto ano do fundamental quando ainda morava em fortaleza. No Rio, se preparou para a prova através de um cursinho do Colegio Pedro II.

Maria Auxiliadora Menezes, de 63 anos, foi fazer a prova pela primeira vez na vida e com o sonho de fazer curso de Terapia Ocupacional.

— Vendo tanta gente hoje em dia precisando de cuidado e ajuda me motivou a tentar. Fiz o pré-vestibular, estudei, tô calma. Minha esperança é poder ajudar cada vez mais quem precisa — conta.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos