Idosos perdem prazo da segunda dose em mais um dia de confusão na vacinação contra Covid-19 em Duque de Caxias

Flávio Trindade
·2 minuto de leitura

O municipio de Duque de Caxias segue promovendo um cenário de desrespeito e confusão para os idosos que correm em busca da segunda dose da vacina contra a Covid-19. Nesta segunda, mais uma vez, centenas de pessoas se aglomeraram em filas desde a madrugada e foram embora frustrados sem a devida imunização após horas de espera. Muitos deles já ultrapassaram o prazo máximo de 28 dias, recomendado pelo Instituto Butantan, entre a primeira e segunda doses da Coronavac.

Nesta segunda, a maior confusão foi registrada na Praça do Canal, em Saracuruna. Desde a noite deste domingo, idosos a pé e de carro começaram a formar fila para a retomada da aplicação da segunda dose, depois da interrupção ocorrida na semana passada. Após determinação da Justiça para que o prefeito Washington Reis regularizasse a vacinação na cidade, eles esperavam que tudo fosse regularizado nesta retomada, mas os problemas se repetiram.

No horário da abertura dos postos, às 7h da manhã, a fila já tinha mais de um quilômetro de extensão. E com apenas uma hora e meia da vacinação iniciada, foi anunciado para as pessoas da fila de pedestres que as doses haviam se esgotado. No entanto, em paralelo, quem aguardava na fila drive-thru continuava recebendo. Foi o estopim para que muitos se dirigissem à tenda para reclamar.

Na fila, funcionária da prefeitura dava informações erradas sobre prazo de doses das vacinas

Das pessoas que ficaram sem a segunda dose, a grande maioria já completou um mês do recebimento da primeira. É o caso do aposentado Josinal Ironei de Souza, de 72 anos, vacinado no dia 24 de março, e que tentou receber a segunda dose pela quinta vez nesta segunda-feira e, mais uma vez, não conseguiu.

— É muito desrespeito desse prefeito com a população. Mais de um mês desde que tomei a primeira dose e tentei pela quinta vez à toa. Agora não sei se vou ter que tomar tudo de novo — lamentou.

Com o princípio de confusão, guardas municipais foram chamados para conter o tumulto. Revoltada, a dona de casa Fatima Carlos, de 67 anos, discutia com os agentes. Ela chegou na fila às 4h da manhã e também não conseguiu ser vacinada.

— Eu sou cardíaca e tenho diabetes. Não tenho quem me ajude e tive que vir sozinha para essa fila. Fiquei seis horas aqui e agora me dizem que não tem vacina, mas continuam dando para esse pessoal de carro. Esse prefeito quer matar os idosos de Caxias por falta de vacina ou do coração por essa tortura — desabafou.

Para tentar dispersar a aglomeração de idosos, uma funcionária da prefeitura informava erroneamente à população que não havia problema em ultrapassar mais de um mês da primeira dose da Coronavac, pois a vacina não teria prazo de validade. No início da manhã, o prefeito Washington Reis esteve no local, mas ao ouvir as primeiras reclamações de quem estava na fila acabou deixando o posto.