IgG reagente para toxoplasmose não interfere no exame para Covid-19

ANA BOTTALLO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma pessoa que já teve toxoplasmose e desenvolveu anticorpos, apresentando IgG elevado, também pode apresentar resultado positivo para anticorpos contra o Sars-CoV-2?

A toxoplasmose é uma doença causada pelo protozoário Toxoplasma gondii, transmitido principalmente por meio de fezes de gatos. A maioria das pessoas que contraem a doença não apresenta sintomas, enquanto uma minoria pode ter inchaço dos gânglios, dores de cabeça e muscular e febre.

Um dos exames para diagnóstico da doença é o sorológico, que aponta se o corpo da pessoa possui anticorpos do tipo IgG para o parasita.

Gerson Salvador, infectologista do Hospital Universitário (HU-USP) e diretor do Sindicato dos Médicos do Estado de São Paulo, explica que, além do contato prévio, em alguns casos a pessoa que já teve toxoplasmose pode apresentar o protozoário latente no corpo, e por isso pode apresentar anticorpos no sangue.

No caso da Covid-19, os exames sorológicos podem detectar anticorpos do tipo IgM e IgG ou IgA e IgG, a depender do tipo de teste. É possível reação cruzada com outros vírus respiratórios, e existe a possibilidade de um falso positivo na detecção de anticorpos IgM se a pessoa estiver com algum quadro infeccioso, mas a probabilidade de apresentar IgG no exame da Covid-19 se a pessoa for portadora de toxoplasma é muito baixa, afirma Salvador.