Igiaba Scego: 'Caetano Veloso, para mim, é uma religião laica'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A pedido do GLOBO, escritora italiana escreve sobre o artista, que completa 80 anos neste 7 de agosto; leia também os textos de Gilberto Gil, Sônia Braga, David Byrne, Fito Paez, Carminho, Jorge Drexler, Mario Lucio Vaz e Devendra Banhart. Abaixo, o texto de Igiaba Scego:

"Costumo dizer aos meus amigos que Caetano Veloso, para mim, é uma religião laica. Admiro Caetano Veloso e sou grata a ele por tudo que significou para minha vida.

Bom, sempre me impressionou a relação que Caetano Veloso teve com um dos meus dois países: a Itália. Muitos em Roma ainda se lembram (eu não, por ser muito pequena) do show de Caetano e outros baianos famosos como Gilberto Gil, Gal Costa e Dorival Caymmi, em 1983, no Circo Massimo, uma das áreas arqueológicas da cidade.

Caetano, 80 anos: referência absoluta da MPB, artista celebra aniversário com live em família

Onde ver, ouvir, ler Caetano Veloso: cardápio traz de show ao vivo no Globoplay a livros inéditos

Por mais de uma semana daquele verão, graças ao vereador Renato Nicolini, um homem que sonhava com uma dimensão artística e popular para Roma, a cidade foi colorida pelos sons da Bahia. Capoeira na Piazza di Spagna, carros alegóricos na Piazza Navona e a voz da Bahia no Circo Massimo. E Caetano encantou a todos.

Era uma Roma sofredora, que acabava de sair de dez anos terríveis, dez anos de terrorismo, pessoas mortas por nada, medo nas ruas. Roma viveu uma guerra e, ao fazê-la cantar, dançar e gritar, Caetano e os demais baianos fizeram dela uma "guarita" em certo sentido.

O legado de Caetano Veloso com a Itália foi iniciado já na juventude, quando o futuro cantor passeava/viajava para ver um filme de Fellini e Antonioni em um pequeno cinema de Salvador. O jeito de Fellini com o talentoso Anthony Quinn e a superlativa Giulietta Masina o deixa literalmente encantado. Não é por acaso que Giulietta Masina tem uma "dedicatória a um concerto". E como podemos esquecer a música dedicada a ela? "Pálpebras de neblina, pele d'alma/ Lágrima negra tinta/ Lua, lua, lua, lua/ Giulietta Masina".

A Itália muitas vezes entra no pensamento de Caetano Veloso, pensamos naquela areia que se deposita nos carros de Roma da música "Reconvexo", mas pensamos sobretudo no grande amor que o público italiano tem por ele.

Ainda me lembro de um concerto, há alguns anos, no Teatro de Ostia Antica, onde a alegria de ouvir sua voz explodiu como um cometa entre aquelas ruínas antigas. Como se você fosse um coral. Lá sua voz rugia como se você se fundisse com nosso coração até explodir.

Em nome de todos os seus admiradores italianos, gostaria de desejar um feliz aniversário a Caetano Veloso. E imensa gratidão."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos