IGP-10 tem segundo mês de deflação em setembro com queda de combustíveis

Frentista abastece carro em posto de gsolina em Cuiabá

BRASÍLIA (Reuters) - O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) registrou o segundo mês seguido de deflação em setembro, ainda refletindo o impacto da queda dos preços dos combustíveis, que têm acompanhado a retração das cotações internacionais e também o efeito de desonerações promovidas pelo governo em ano eleitoral.

O IGP-10 caiu 0,90% este mês, acima da deflação de 0,44% esperada por analistas em pesquisa da Reuters e também maior do que a queda de 0,69% do mês anterior, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta sexta-feira.

Com o resultado, o índice passou a acumular avanço de 8,24% em 12 meses, um recuo em relação aos 8,82% registrados em agosto, que foi a primeira leitura de um dígito desde julho de 2020 (+8,57%).

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede a variação dos preços no atacado e responde por 60% do índice geral, teve queda de 1,18% em setembro, depois de recuar 0,65% em agosto.

Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-10), que responde por 30% do índice geral, caiu 0,14%, após retração de 1,56% em agosto.

"Os combustíveis continuam contribuindo para o arrefecimento das pressões inflacionárias no âmbito do produtor e do consumidor. No IPA, a taxa de variação do diesel passou de 2,28% para -6,70%, sendo a principal influência negativa. No IPC, a taxa de variação da gasolina caiu menos --de -16,88% para -9,66%--, mas manteve-se como maior influência negativa", disse André Braz, coordenador dos índices de preços na FGV.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), por sua vez, teve variação negativa de 0,02% em setembro, após alta de 0,74% no mês anterior.

O IGP-10 calcula os preços ao produtor, consumidor e na construção civil entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.

Veja abaixo a variação dos grupos (em %):

Agosto Setembro

IGP-10

-0,69 -0,90

IPA

-0,65 -1,18

.Estágios

.Bens Finais

-0,27 -0,52

.Bens Intermediários

+0,19 -1,72

.Matérias Primas Brutas

-1,90 -1,17

.Origem

.Produtos Agropecuários

+0,19 -0,39

.Produtos Industriais

-0,98 -1,50

IPC

-1,56 -0,14

.Alimentação

+0,99 -0,24

.Habitação

-0,52 +0,08

.Vestuário

+0,44 +0,68

.Saúde e Cuidados

Pessoais +0,57 +0,83

.Educação, Leitura e

Recreação -5,75 +4,00

.Transportes

-5,71 -2,97

.Despesas Diversas

+0,32 +0,15

.Comunicação

-0,31 -0,88

INCC

+0,74 -0,02

.Materiais,

Equipamentos e Serviços +0,38 -0,19

.Mão de Obra

+1,13 +0,17

(Por Isabel Versiani)