Igreja Católica francesa estima que teve 3 mil pedófilos desde 1950

·1 minuto de leitura
Vista de igreja em Fontaines, na França.

PARIS (Reuters) - A Igreja Católica francesa teve cerca de 3 mil0 pedófilos em suas fileiras nos últimos 70 anos, disse o chefe de uma comissão independente que investiga escândalos de abuso sexual numa entrevista publicada neste domingo.

O escândalo na Igreja francesa é o mais recente a atingir a Igreja Católica Romana, abalada por casos de abuso sexual, muitas vezes envolvendo crianças, nos últimos anos.

A comissão francesa deve publicar o resultado na terça-feira, concluindo um trabalho de dois anos e meio de pesquisa sobre eventuais abusos que remontam à década de 1950.

"Estimamos o número (de pedófilos) em 3 mil, entre 115 mil sacerdotes e oficiais da Igreja, desde a década de 1950", disse o chefe da comissão, Jean-Marc Sauve, ao Journal du Dimanche.

Um porta-voz que representa a Conferência dos Bispos Católicos da França se recusou a comentar as declarações.

Um porta-voz do Vaticano disse que iria aguardar a publicação do relatório completo antes de decidir se comentaria.

Em junho, o Papa Francisco disse que casos de abusos sexuais perpetrados na Igreja Católica são uma "catástrofe" mundial.

A Igreja Católica francesa postou uma oração em sua conta no Twitter em nome das vítimas e acrescentou que também faria uma oração no dia 5 de outubro - o dia da publicação do relatório.

"Querido Senhor, confiamos a você todos aqueles que foram vítimas de violência e ataques sexuais na Igreja. Oramos para que possamos sempre contar com o seu apoio e ajuda durante essas provações", escreveu a instituição em sua conta no Twitter.

Desde que foi eleito em 2013, o Papa Francisco tomou uma série de medidas com o objetivo de erradicar o abuso sexual de menores por parte de clérigos.

(Por Gilles Guillaume e Philip Pullella)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos