Igrejas denunciam uso da estrela de Davi por anti-vacina checos

·1 minuto de leitura
Um homem com uma estrela de Davi com a inscrição "não testado" participa de um protesto contra o governo tcheco e em apoio ao presidente dos Estados Unidos em Praga, República Tcheca, em 8 de janeiro de 2021

Associações eclesiásticas e a Federação das Comunidades Judaicas Tchecas denunciaram na segunda-feira (11) que os manifestantes anti-vacina checos usam a Estrela de Davi, um símbolo da perseguição aos judeus pelo regime nazista durante a Segunda Guerra Mundial.

"Com grande angústia, vimos manifestantes anti-vacina usando abusivamente a Estrela de Davi”, declararam em um comunicado conjunto a Conferência dos Bispos Tchecos, o Conselho Ecumênico de Igrejas e a Federação das Comunidades Judaicas.

Ativistas anti-vacina, alguns deles simpatizantes do presidente dos EUA, Donald Trump, manifestaram-se no centro de Praga na sexta-feira usando estrelas amarelas com a inscrição "unvaxx" para denunciar a campanha de vacinação lançada pelo governo tcheco.

A República Checa iniciou sua campanha de vacinação contra a covid-19 após o Natal, e o primeiro a ser vacinado foi o primeiro-ministro, Andrej Babis.

No domingo, cerca de 3.000 pessoas se reuniram nas ruas de Praga para protestar contra a campanha, gritando slogans como "Não somos ovelhas!" ou "Não à vacinação!", sem respeitar as medidas de distanciamento.

Os manifestantes afirmam que as restrições impostas pelo governo não conseguiram conter o contágio e estão desferindo um golpe terrível na economia.

Até agora, as autoridades de saúde checas registraram mais de 830.000 casos de covid-19, dos quais mais de 13.000 foram fatais. O aumento diário de casos ultrapassou o recorde de 17.000 duas vezes na semana passada.

frj/ial/fjb/jvb/llu/ap/mvv