Imagens afetivas podem virar elementos decorativos como as da casa de Fernanda Montenegro

Douglas Alexandre e Guilherme Galvão
·2 minuto de leitura

Recentemente, a atriz Fernanda Montenegro, de 91 anos, mostrou parte da biblioteca de sua casa numa entrevista no “Conversa com Bial”. Além de um acervo gigantesco de livros, o cômodo da dama do teatro brasileiro chama atenção por um outro detalhe: os inúmeros quadros na parede com memórias eternizadas em fotos em preto e branco.

O uso das fotografias não se trata de uma tendência da decoração, mas fato é que elas trazem afetividade para a casa. Sendo distribuídas no espaço de forma que valorizem o local, podem se tornar até as peças-chave de um ambiente.

No caso da biblioteca de Fernanda, as imagens ostentadas na parede são de pessoas, mas fotos de lugares e paisagens podem cumprir o mesmo papel, já que elas representam não só afetividade, como também sensações.

Uma dica legal que pode ajudar na hora de escolher o melhor lugar para posicionar as fotografias é evitar pendurá-las na mesma parede ou móvel onde se localiza o aparelho de televisão. Assim elas não tiram a atenção dos programas que são exibidos.

Deixamos aqui uma pergunta para reflexão. Você guarda suas memórias numa caixa ou as expõe na sua decoração?

Momentos emoldurados

Neste apartamento de 400 metros quadrados, no bairro de Cidade Jardim, em São Paulo, a Bezamat Arquitetura projetou ambientes com tons sóbrios. A família, composta por um casal e dois filhos, tinha como premissa um lugar para morar de estilo contemporâneo, com toques clássicos. Bege, fendi e marrom humanizaram a paleta de cores coringa desses espaços. Detalhes fortes desses dois cômodos são as fotografias emolduradas com imagens que remetem ao hobby que os filhos têm: balé e artes marciais.

Na sala, há uma bailarina num maxiquadro, apoiado no chão. Aliás, trata-se de uma forma apaixonante de se usar quadros. Apesar de superdimensionado, este traz leveza para o ambiente seguindo a mesma pegada de tonalidades tranquilas. As fotos em preto e branco são um verdadeiro charme e traduzem elegância.

Já no quarto do filho, que tem uma decoração bem masculina em tons de preto, cinza e branco, um lutador de boxe rouba a cena em uma foto também em preto e branco. A imagem faz total diferença em toda a composição do cômodo que segue o mesmo estilo de todo o apartamento.

Esse projeto prova que as fotografias não só eternizam memórias, gostos e histórias como aumentam a sensação de pertencimento do espaço. Então, não tenha medo de abrir sua caixa de fotos. Ouse e faça a sua galeria.

A coluna "Casa de Novela" é assinada pelo arquiteto e urbanista Guilherme Galvão e pelo engenheiro Douglas Alexandre.

Site: ggarquitetura.arq.br

Instagram: @2amarelos e @ggarquitetura.