Imagens de deslocamento de jovem que morreu após festa no PR têm corte de 1 minuto

Imagens de jovem sofreram corte antes de serem entregues à polícia (Foto: Reprodução/TV Globo)
Imagens de jovem sofreram corte antes de serem entregues à polícia (Foto: Reprodução/TV Globo)
  • Imagens do deslocamento de Phelipe Lourenço, entregues à polícia, tem corte de quase um minuto

  • Jovem morreu após uma festa realizada no último sábado (13), em Curitiba

  • Polícia e família tentam determinar o que causou a morte do rapaz de 24 anos

A divulgação das imagens cedidas à Polícia Civil que mostram o deslocamento de Phelipe Francisco Lourenço apenas ampliaram o mistério em torno da morte do jovem de 24 anos após uma festa em Curitiba, no último sábado (13).

Divulgados pelo g1, os vídeos registrados por câmeras de segurança mostram a movimentação do jovem na Pedreira Paulo Leminski, momentos após o evento.

Chamou a atenção, porém, um corte de um minuto realizado na imagem. No momento em que mostra Phelipe entrando em uma área restrita da Pedreira, o vídeo pula de 0h01min21s para 0h02min10s.

Delegada responsável pelo caso, Tathiana Guzella explicou ao g1 que o corte fez parte das primeiras imagens cedidas à polícia para a investigação.

Já o advogado da família da vítima, Nilton Ribeiro, afirmou que espera a análise integral das imagens e uma apuração intensa das informações para tentar determinar o que causou a morte do jovem.

"Nós precisamos terminar de ver esses vídeos na íntegra. Ainda faltam peças nesse quebra-cabeça. O quebra-cabeça ainda não está encerrado, não está montado. Faltam peças ainda", disse.

Os organizadores do evento não comentaram o corte no vídeo e afirmaram que "a apuração de fatos está sendo realizada pelas autoridades competentes e toda e quaisquer informação sobre o ocorrido neste final de semana está sendo apurada por eles".

Entenda o caso

Phelipe foi encontrado em um lago na Ópera de Arame, local ao lado da Pedreira Paulo Leminski. Segundo a organização do evento, o rapaz sofreu uma queda de uma área de acesso proibido.

A família da vítima tenta entender se ela caiu sozinha ou foi empurrada. Até o momento, porém, não há nada que comprove qualquer tipo de agressão.

De acordo com a Polícia Civil, uma ambulância levou o jovem a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Segundo a Prefeitura de Curitiba, ele já chegou sem vida na unidade de saúde.

O evento contava com câmeras de segurança. As imagens foram revistas pela organização, que afirma que "após o encerramento do evento e saída total do público, o jovem retornou ao complexo da Pedreira pulando o muro lateral externo e se dirigindo a uma área de acesso restrito, que faz divisa com a Ópera de Arame, local onde ocorreu a queda".