Imigrante mexicano detido nos EUA morre de covid-19

·2 minuto de leitura
Bandeira do Serviço de Imigração e Controle de Aduanas dos Estados Unidos (ICE) em Washington, DC, em 17 de julho de 2020

Um imigrante mexicano que estava detido no estado da Geórgia morreu no sábado de complicações da covid-19, o quarto a morrer no mesmo centro após testar positivo para o coronavírus, informaram autoridades americanas.

Felipe Montes, de 57 anos, foi hospitalizado em 10 de janeiro, duas semanas depois de ser levado para o Centro de Detenção Stewart, no sudoeste da Geórgia, afirmou o Serviço de Imigração e Controle de Aduanas dos Estados Unidos (ICE) em um comunicado datado de domingo.

“O ICE está firmemente comprometido com a saúde e o bem-estar de todos os que estão sob sua custódia e está conduzindo uma revisão integral deste incidente”, disse.

Montes é o quarto detido nesse centro a morrer de coronavírus, após o falecimento de três homens de origem latino-americana: um guatemalteco de 34 anos em maio, um costarriquenho de 70 anos em agosto e um mexicano de 61 anos em setembro, de acordo com dados do ICE.

O Centro de Detenção Stewart, localizado nos arredores da cidade de Lumpkin, acumula quatro das nove mortes de detidos por coronavírus registrados em todas as instalações do ICE no país.

Com 474 infecções confirmadas desde fevereiro de 2020, quando começaram os testes de detecção de covid-19, o Centro Stewart foi também o segundo em número de casos em todo o país, superado apenas pelo Centro Correcional La Palma em Eloy, no estado de Arizona, com 544 casos e nenhuma morte registrada.

O ICE, que durante o governo do ex-presidente Donald Trump intensificou os esforços para prender e deportar imigrantes indocumentados, tinha 14.715 pessoas detidas em todo o país em 15 de janeiro.

Organizações de direitos humanos alertaram sobre o alto risco que os centros de detenção representam na propagação da covid-19.

A poderosa organização de direitos civis ACLU denunciou que o ano fiscal de 2020, encerrado em 30 de setembro, foi o mais mortal para os detidos pelo ICE em 15 anos.

ad/yow/ic/mvv