Imigrantes agora podem usar aplicativo de celular para solicitar entrada na fronteira dos EUA

Imigrantes em centro de detenção em Tapachula, Chiapas, no México

Por Ted Hesson e Daina Beth Solomon

WASHINGTON/CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Imigrantes em busca de asilo na fronteira dos Estados Unidos com o México agora podem usar um aplicativo de celular para agendar um horário para se aproximar de um ponto de entrada terrestre, confirmou a Agência de Alfândega e Proteção de Fronteiras (CBP) dos EUA na quinta-feira, uma medida destinada a reduzir travessias não autorizadas, mas que gerou preocupações sobre privacidade e acesso.

O aplicativo, chamado CBP One, está disponível em inglês e espanhol e permitirá que migrantes no centro e norte do México enviem informações biográficas e uma foto, e solicitem um encontro em um dos oito pontos de fronteira no Texas, Arizona e Califórnia, de acordo com um informativo.

O governo norte-americano havia anunciado que expandiria o uso do CBP One, dando aos solicitantes de asilo acesso direto para inserir suas informações como uma etapa de pré-seleção antes de uma consulta. Lançado em 2020, o aplicativo já foi usado para permitir que as pessoas que atravessam legalmente nos portos de entrada terrestre enviem suas informações com antecedência e que organizações não governamentais solicitem a entrada humanitária de certos migrantes.

O governo do presidente dos EUA, Joe Biden, considera o aplicativo uma alternativa mais regulamentada e potencialmente mais rápida para cruzar a fronteira. Mas os defensores temem que os requerentes de asilo sejam obrigados a enviar informações pessoais sem garantia de entrada e que alguns possam não ter acesso a um telefone celular ou internet.

O lançamento do aplicativo ocorre depois que Biden anunciou na semana passada que seu governo expandiria as restrições da resolução conhecida como "Título 42" da era Covid para expulsar rapidamente cubanos, haitianos e nicaraguenses que cruzam a fronteira de volta ao México, enquanto abre caminhos legais para aqueles que têm patrocinadores dos EUA e entram por ar.

Biden, um democrata que pretende se reeleger em 2024, foi criticado pelos republicanos pelo que consideram políticas de fronteira permissivas em meio a recordes em números de travessias.

(Reportagem de Ted Hesson, em Washington, e Daina Solomon, na Cidade do México; Reportagem adicional de Jackie Botts na cidade de Oaxaca)