De imitação de Trump a Papa Burguer: trotes inundam linha direta republicana para denúncias de fraude eleitoral

Extra
·2 minuto de leitura
Foto: Reproudção/Pixy
Foto: Reproudção/Pixy

A equipe de campanha do presidente americano, Donald Trump, criou uma linha para que seus apoiadores denunciassem supostas fraudes na eleição deste ano. A medida faz parte da ofensiva do republicano para minar a credibilidade do pleito, cujo o vencedor projetado pelos principais meios de comunicação do país foi o democrata Joe Biden. Porém, a estratégia do canal direto com seus eleitores deu errado.

Nos últimos dias, a linha foi invadida por trotes de pessoas rindo ou zombando dos republicanos. Ao canal ABC News, alguns dos responsáveis por atender os telefones contaram que o trabalho se tornou um pesadelo. Houve até mesmo uma corrente em redes como o Twitter e o TikTok para incentivar brincadeiras.

O humorista Alex Hirsch, por exemplo, publicou no Twitter a gravação que fez ao ligar para a linha direta. Ele começa o telefonema dizendo que viu o que parecia ser “uma situação de fraude de voto”. Depois, afirma que viu um homem vestido com camisa listrada, chapéu preto, gravata vermelha e máscara saindo de um prédio com uma sacola. Dentro, diz Hirsch, ele carregava hambúrgueres. A descrição coincide com a do Papa Burguer, personagem famoso da rede McDonald's.

— E ele estava dizendo, ‘Robble, robble’, quando estava saindo do prédio, como um ladrão. Você sabe, eu acho que ele provavelmente é antifa. Posso falar com Rudy Giuliani? — diz o humorista na gravação, citando ainda o advogado pessoal de Trump e ex-prefeito de Nova York.

Tony Atamanuik, humorista americano famoso por suas imitações de Trump, também ligou para o número. Imitando o presidente, ele diz: “Eu quero relatar a maior fraude: a eleição está sendo roubada de mim!”

Segundo o jornalista do site político Axios Jonathan Swan, os funcionários da linha lidam com trotes de “adolescentes esquerdistas” e, às vezes, recebem “imagens adultas perturbadoras”. As brincadeiras geraram revolta entre os apoiadores de Trump, que, assim como o republicano, afirmam, sem nenhum embasamento, que a eleição foi fraudada. O filho do presidente Eric Trump acusou o Partido Democrata de estar por trás dos trotes.

“O DNC [sigla do partido] está enviando spam para nossa linha direta de fraude eleitoral para bloquear as milhares de reclamações que estamos recebendo!”, escreveu no Twitter, na última sexta-feira. “Gostaria de saber o que eles têm a esconder.”

Desde a campanha, Trump afirma que haveria algum golpe dos democratas para vencer a eleição. Após o dia da votação, à medida que o presidente via que não conseguiria se reeleger, as ofensivas se tornaram mais frequentes e diretas. Trump, no entanto, nunca apresentou nenhuma prova da suposta fraude.