Impeachment de Bolsonaro tem 53% de apoio dos brasileiros, mostra pesquisa

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Brazil's President Jair Bolsonaro, checks his watch flanked by Vice President Hamilton Mourao, left, during a ceremony to commemorate the 80th anniversary of the Air Force, at the Air Base headquarters in Brasilia, Brazil, Wednesday, Jan. 20, 2021. (AP Photo/Eraldo Peres)
Para que os que têm renda acima de 10.000 reais, o apoio ao impeachment é 63%, quase o mesmo patamar dos que apoiam a caída do presidente no Nordeste (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)

A pesquisa Atlas mostrou que 53% dos brasileiros apoiam o impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Os dados foram divulgados no domingo (24), enquanto manifestações pedindo a saída do presidente se espalhavam pelo país entre movimentos de esquerda e direita.

Segundo o levantamento, o apoio ao impeachment se espalha em todas as regiões do país e faixas de renda, mas é mais forte entre as mulheres e no Nordeste. Os números também mostram como Bolsonaro perdeu apoio entre os mais ricos, uma fatia essencial para pavimentar sua vitória eleitoral em 2018.

Para que os que têm renda acima de 10.000 reais, o apoio ao impeachment é 63%, quase o mesmo patamar dos que apoiam a caída do presidente no Nordeste (são 62% contra 46% na região Norte, por exemplo).

Leia também

O número de apoio está no patamar mais alto desde maio, quando alcançou 58% na série histórica medida pela empresa. Para o analistas Andrei Roman, CEO do Atlas, embora haja “volatilidade”, ele afirmou ao El País que “parece haver uma estabilidade desse patamar mais alto de apoio ao impeachment”.

“53% é um limite ainda muito perto entre ter maioria ou não ter maioria. Se esse número chegar a 60%, aí podemos falar de uma maioria contundente que coloca pressão sobre o Congresso como foi com Dilma Rousseff”, disse.

Processo de impeachment

O processo de impeachment de Bolsonaro volta a ganhar atenção em Brasília em meio ao recrudescimento da pandemia e a crise do oxigênio em Manaus.

Por outro lado, a pesquisa Atlas mostra três pilares que seguem segurando a popularidade do bolsonarismo no momento: os mais pobres, os homens e os evangélicos. Se na população em geral o apoio ao impeachment vai a 53%, entre os evangélicos esse número cai para apenas 35%, entre os homens cai para 43%, contra 64% de apoio à destituição entre as mulheres.

A pesquisa Atlas também deve divulgar nos próximos dias aprovação do presidente Bolsonaro e cenários para as presidenciais de 2022.

O levantamento que tem margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos e cujas entrevistas foram realizadas entre 20 e 24 de janeiro, com a participação de 3.073 entrevistas feitas por questionários aleatórios via internet.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos