Impedido de disputar reeleição, filipino Duterte será candidato a vice

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, em 24 ago. 2021
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Legalmente impedido de disputar a reeleição, o presidente filipino, Rodrigo Duterte, anunciou na terça-feira (24) sua candidatura à vice-presidência para continuar sua "cruzada" contra as drogas e os rebeldes.

Para a oposição, Duterte busca uma maneira de fugir da Justiça.

"Apresento minha candidatura à vice-presidência", declarou Duterte, em um discurso pré-gravado.

Eleito presidente das Filipinas em 2016, ele é impedido pela Constituição de buscar novo mandato.

Nas Filipinas, presidente e vice-presidente são eleitos de forma separada. O segundo substitui o primeiro, em caso de incapacidade, ou de renúncia.

"Vou continuar minha cruzada. Estou preocupado com a rebelião, com a criminalidade e com as drogas", afirmou.

Desde sua chegada ao poder, Duterte trava uma campanha sangrenta contra traficantes e usuários de drogas, ao custo de dezenas de milhares de vidas, segundo ONGs.

Em junho, o Tribunal Penal Internacional (TPI) pediu a abertura de uma investigação sobre os milhares de assassinatos cometidos no âmbito desta "guerra" e considerou que pode se tratar de "crime contra a humanidade".

Para a campanha presidencial em maio do ano que vem, o partido de Duterte, PDP-Laban, apoiaria o senador Christopher Lawrence "Bong" Go, há tempos próximo do presidente em final de mandato.

Uma fração do partido, favorável ao famoso lutador de boxe e potencial candidato Manny Pacquiao, denunciou que a chap Bong Go-Duterte é apenas uma "cortina de fumaça". Seu objetivo seria, na verdade, revelar no último minuto a verdadeira candidata: Sara, a filha de Duterte, que pertence a outro partido.

Se Sara Duterte-Carpio, favorita nas pesquisas, ou Bong Go vencerem a eleição presidencial, podem ajudar a proteger Duterte de possíveis processos criminais, na avaliação de diferentes observadores.

Em uma parte de sua declaração, editada e retirada antes de sua divulgação, Duterte dizia que ele e Bon Go renunciariam à campanha eleitoral, se sua filha disputasse a presidência, relatou Harry Roque, porta-voz oficial, em conversa com a AFP.

cgm-rbl-mff-amj/mav/me/zm/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos