'Impedir votação é crime': TSE envia alerta a milhões de celulares

Prédio do TSE em Brasília
Prédio do TSE em Brasília

Após a realização de operações de fiscalização pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) contra veículos fazendo transporte público de eleitores, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) enviou para o celular dos brasileiros, pelo aplicativo e-Título, um alerta destacando que é crime eleitoral impedir a população de exercer seu direito ao voto.

"Quem impede a população de votar comete crime eleitoral. Denuncie qualquer irregularidade pelo aplicativo pardal #SeuVotoFazoPais", dizia a mensagem.

O aplicativo Pardal, também da Justiça Eleitoral, possibilita que eleitores e candidatos informem à Justiça e ao Ministério Público flagrantes de práticas indevidas

O alerta, disparado por volta das 14h30 da tarde deste domingo (30), foi enviado para todos os cidadãos que possuem o aplicativo baixado em seus aparelhos. Segundo o TSE, até as vésperas do primeiro turno, cerca de 30 milhões de eleitores ativaram o e-Título no Brasil e no exterior.

Mensagem enviada pelo TSE aos eleitores
Mensagem enviada pelo TSE aos eleitores

Nos últimos dias o TSE já havia enviado outros alertas pelo aplicativo, relembrando os cargos em disputa no terceiro turno e incentivando o respeito à democracia.

Operações da PRF

No sábado (29/10), o presidente do TSE, o ministro Alexandre de Moraes, proibiu que a PRF realizasse qualquer operação de fiscalização relacionada ao transporte público de eleitores neste domingo, para não atrapalhar a votação. Horas após a determinação, porém, o diretor-geral da PRF, Silvinei Vasques, publicou um ofício orientando os superintendentes da corporação em sentido oposto.

Diante de relatos de que as operações estavam ocorrendo, em especial no Nordeste, Moraes intimou Vasques a interromper imediatamente as ações. Se o diretor não cumprir a ordem, pode ser multado em R$ 100 mil a hora, ser afastado das funções e ser preso.

O diretor também foi intimado para prestar depoimento ao TSE no início da tarde.

- Este conteúdo foi publicado originalmente em https://www.bbc.com/portuguese/brasil-63451018