Imperial College: taxa de transmissão da Covid-19 no Brasil cai para 1,12, ainda considerada alta

O Globo
·1 minuto de leitura

RIO — A taxa de transmissão (Rt) da Covid-19 no Brasil é de 1,12, de acordo com levantamento do Imperial College de Londres, divulgado nesta terça-feira. O índice representa uma queda em relação ao relatório divulgado na semana passada, quando o Rt estava em 1,23, mas ainda é considerado alto.

A taxa de contágio acima de 1 indica que a doença avança sem controle no Brasil. Essa é uma das principais referências para acompanhar a evolução epidêmica do Sars-CoV-2 no país. Quando fica abaixo de 1, o índice indica tendência de desaceleração. O Rt atual significa que cada 100 pessoas contaminadas transmitem a doença para outras 112.

A universidade britânica também projeta que o Brasil deve registrar 18.800 óbitos pela Covid-19 esta semana, um aumento em relação a anterior, quando foram contabilizadas 16.798 mortes pela doença. No pior quadro estimado, as perdas para o coronavírus podem chegar a 19.500.

Dentro da margem de erro calculada pelo Imperial College, o Rt brasileiro pode variar de 1,08 até 1,14.

Especialistas costumam ponderar que é preciso acompanhar a taxa de transmissão por um período prolongado de tempo para avaliar cenários, levando em conta o atraso nas notificações e o período de incubação do coronavírus, que chega a 14 dias. No Brasil, o Rt se mantém acima de 1 desde dezembro.

Por ser uma média nacional, o índice não significa que a doença está avançando ou retrocedendo da mesma forma em todas as cidades e estados do país.