Imposto de Renda: Senado pode elevar isenção para R$ 3.300

·2 min de leitura
Equipe econômica do governo é contra correção da tabela do Imposto de Renda sem que haja uma compensação tributária (Getty Images)
Equipe econômica do governo é contra correção da tabela do Imposto de Renda sem que haja uma compensação tributária (Getty Images)
  • Valor de R$ 2.500 chegou a ser votado em 2021, mas não foi aprovado pelo Congresso

  • Durante campanha, Bolsonaro prometeu isentar trabalhadores que ganham até 5 salários mínimos

  • Equipe econômica do governo, no entanto, ainda é contra a correção da tabela

A sexta-feira, tão aguardada pelos brasileiros que conseguem tirar uma folga no final de semana, pode ter começado com uma boa notícia. Afinal, depois de retornar do recesso de final de ano, o Senado Federal tem uma importante votação pela frente: o Projeto de Lei que eleva a faixa de isenção do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) de R$ 1903,98 para R$ 3.300 - o valor é superior ao que havia sido proposto pelo governo no último ano, quando o Congresso não aprovou a isenção de R$ 2.500. Para o senador Angelo Coronel, autor desta medida, novo valor possui melhores chances de ser aceito.

Leia também:

Justiça às pessoas de mais baixa renda

A justificativa para o aumento da faixa de isenção é, segundo o senador Angelo Coronel (PSD-BA) - autor e relator do texto do governo que reformula o Imposto de Renda da Pessoa Física (RPF) e o Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) -, uma forma de "se fazer justiça na tributação sobre a renda das pessoas de mais baixa renda”.

Bolsonaro fez promessa de campanha

Apesar da não aprovação do Congresso em 2021, mesmo com um valor mais baixo, é importante lembrar que o presidente Jair Bolsonaro chegou a prometer uma correção ainda maior na tabela do Imposto de Renda. Ainda durante sua campanha para as eleições, Bolsonaro prometeu isentar os trabalhadores que ganham até cinco salários mínimos - o que daria mais de R$ 5.000 em isenção.

Menor imposto a ser pago

Além da isenção, quem recebe um salário superior a R$ 3.300 também teria o valor de seu imposto reduzido. De acordo com o texto que será votado pelo Senado Federal, a previsão é de alíquotas de 15% para renda entre R$ 3.300 a R$ 4.250 - o que corresponde a uma parcela de dedução de R$ 495; alíquotas de 22,5% para renda entre R$ 4.250,01 a R$ 5.300 - com dedução de R$ 813,75; e alíquotas de 27,5% para renda acima de R$ 5.300 - com o valor da parcela sendo de R$ 1.078,75. A equipe econômica do governo, no entanto, ainda é contra a correção da tabela sem que haja uma compensação tributária.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos