Imposto de Renda 2022: Receita recebe 36,3 milhões de declarações, acima do previsto

A Receita Federal recebeu, até as 23h59 desta terça-feira, quando acabou o prazo para entrega, 36.322.912 declarações do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2022. A expectativa era de que fossem enviados 34,1 milhões de formulários.

Um dos motivos para essa alta acima do esperado é que a tabela do IR não é reajustada desde 2015. A defasagem está em 134,53%, segundo cálculos da Associação Nacional de Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Unafisco).

Se considerado apenas o governo Bolsonaro, a descompasso entre a cobrança de IR e a inflação no período chega 24,49%. Reajustar a tabela foi promessa de campanha de Bolsonaro, mas o ajuste nunca entrou em seu programa de governo.

"É evidente que esse crescimento exponencial dos declarantes decorre do fato de a massa de contribuintes ter tido uma pequena melhora salarial e ter se visto obrigada a declarar (porque a faixa de isenção não acompanhou essa alta), o que é uma injustiça enorme", avaliou em nota a Unafisco.

O crescimento médio do número de declarantes dos últimos cinco anos era de 2,84%, mas neste ano superou 14,8%.

Neste ano, a declaração foi obrigatória para as pessoas que receberam rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 em 2021. Ou seja, quem recebeu R$ 2.379,97 por 12 meses ou 2.196,90 em 13 salários.

Quem estava obrigado a entregar a declaração e não o fez até o fim do prazo está sujeito a multa. O valor é de 1% ao mês, sobre o valor do Imposto de Renda devido, limitado a 20% do valor. O valor mínimo da multa é de R$ 165,74.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos