Imprensa internacional repercute protesto da seleção alemã: 'Isso é muito pouco'

Os jogadores da Alemanha taparam a boca em forma de protesto antes da bola rolar na partida contra o Japão, pela primeira rodada do grupo E da Copa do Mundo do Catar. Mediante a isso, o jornal alemão "Bild" repercutiu a atitude dos atletas e comentou que o ato ainda é muito pouco por tudo que ocorreu nos bastidores.

Além deste ato, o goleiro e capitão da seleção alemã, Manuel Neuer, entrou em campo com a braçadeira escondida, também como uma forma de protesto. No entanto, pouco antes de iniciar a partida o bandeirinha pediu para verificar a braçadeira do arqueiro durante o aquecimento. Neuer mostrou, e em seguida o auxiliar correu para sua posição e o jogo começou.

O protesto também ecoou em outro jornal alemão, desta vez o "Handelsblatt". O portal destacou a forma em que o ato foi feito — de maneira silenciosa e disse que a mensagem feita pela Federação da Alemanha foi um sinal muito óbvio para Fifa.

"Protesto silencioso com a mão na boca: seleção da DFB dá sinais contra a Fifa antes do pontapé inicial: A seleção da DFB enviou um sinal muito óbvio para a associação mundial de futebol Fifa, que baniu a braçadeira de capitão "One Love" de Manuel Neuer e de outros seis capitães de times europeus no Catar", afirmou o "Handelsblatt".

O portal "As", da Espanha, também notificiou o fato e apontou que o corpo jurídico da Federação Alemã está considerando entrar com uma ação legal contra a Fifa por considerar o fato de que Neuer e outros capitães da Copa do Mundo tiveram que desistir de suas ideias de usar a braçadeira 'One Love' uma chantagem esportiva.

"A Alemanha reclama porque considera a manobra "chantagem". Nesse sentido, a Federação confirma que seu órgão jurídico estuda neste momento entrar com uma ação judicial contra a FIFA pela manobra utilizada", afirmou o portal espanhol.