Início de Renato Gaúcho no Flamengo dá fim à viuvez de Jorge Jesus

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

As quatro goleadas aplicadas pelo Flamengo nos últimos cinco jogos fazem o início da trajetória do técnico Renato Gaúcho causar o impensável. Desde a saída de Jorge Jesus, há um ano, o time era cobrado a voltar a ter atuações implacáveis, com apetite até o fim.

E as principais estrelas do elenco rubro-negro a reeditar os bons momentos individuais e coletivos vistos em 2019. É claro que Renato não fez mágica, mas o desempenho sob seu comando quebrou um paradigma em termos de resultado e comportamento. E lembrou que é possível que outro comandante extraia desse grupo seu melhor.

Em cinco jogos, foram 21 gols marcados, média de 4,2 por partida, um a cada 21 minutos, com um número de finalizações altíssimo, resultado do forte poder de marcação na saída de bola. Na goleada de 6 a 0 sobre o ABC, foram 20. O Flamengo de Renato precisa de pouco mais de três chutes a gol para balançar a rede nesse início de trabalho avassalador. Que ainda não se compara em recordes e títulos ao de Jorge Jesus, mas certamente chama atenção pela superioridade em relação ao que Doménec Torrent e Rogério Ceni alcançaram.

Em 26 jogos com Dome, a equipe marcou 46 vezes, mas sofreu 38 gols. Já com Ceni, foram 86 gols marcados e 55 sofridos em 45 partidas. Médias de 1,76 e 1,91 gol por jogo, respectivamente. Com Jesus, a média foi de 2,2, após 132 gols em 58 jogos em que sofreu 48. É claro que a comparação em períodos desproporcionais aos de Renato pesa a favor do atual técnico. Mas ilustra a mudança de ares. Sobretudo pelo desempenho individual.

Com o técnico, Éverton Ribeiro, Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabigol voltaram a jogar perto de seus máximos. Sobretudo o uruguaio, responsável pelo maior conjunto de ações que resultaram em gols nas cinco partidas. São cinco assistências e dois gols. Gabigol lidera a artilharia com Renato: cinco gols, seguido por Bruno Henrique, que com quatro voltou a ser decisivo. Ambos têm uma assistência. Enquanto Ribeiro tem três, e está em ascensão.

Os dados foram obtidos no Sofascore e no Footstats.

5 jogos

5 vitórias

21 gols marcados

2 gols sofridos

100% de aproveitamento

Maiores goleadas:

5 a 0 no Bahia

4 a 0 no Defensa y Justicia

5 a 1 no São Paulo

6 a 0 no ABC

58 jogos

44 vitórias

10 empates

4 derrotas

132 gols marcados

48 gols sofridos

81,6% de aproveitamento

Maiores goleadas:

6 x 1 no Avaí

4 a 1 no Ceará

4 a 1 no Corinthians

5 a 0 no Grêmio

4 a 1 no Vasco

6 a 1 no Goiás

5 títulos:

Libertadores (2019)

Brasileiro (2019)

Supercopa do Brasil (2020)

Recopa Sul-Americana (2020)

Estadual (2020)

26 jogos

15 vitórias

5 empates

6 derrotas

46 gols marcados

38 gols sofridos

64,1% de aproveitamento

Maiores goleadas:

4 a 0 no Del Valle

5 a 1 no Corinthians

Sem títulos

45 jogos

23 vitórias

11 empates

11 derrotas

86 gols marcados

55 gols sofridos

59,3% de aproveitamento

Títulos:

Brasileiro 2020
Supercopa do Bra sil 2021
Estadual 2021

Maiores goleadas:

4 a 1 no Santos

5 a 1 no Madureira

4 a 1 no Unión La Calera

4 a 1 no Volta Redonda

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos