Incêndio atinge hospital no Rio e pacientes são retirados às pressas

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um incêndio atingiu na manhã desta quarta-feira (8) o hospital São Lucas, em Copacabana, zona sul do Rio de Janeiro. Pacientes tiveram que deixar a unidade às pressas.

Segundo os bombeiros, ninguém ficou ferido.

Alguns dos pacientes eram idosos que estavam em cadeiras de rodas e precisaram ser amparados por enfermeiros para conseguir deixar o hospital. Uma multidão de curiosos se aglomerou em frente à unidade.

Em nota, o hospital disse que, por volta das 9h10, a rouparia que funciona em um prédio anexo teve um princípio de incêndio. O fogo teria começado em um gerador de energia.

Às 10h, o incêndio já teria sido controlado pelo Corpo de Bombeiros e os pacientes, que foram evacuados, começaram a retornar para o interior do hospital. O hospital diz ainda que os impactos do incêndio ainda serão analisados. Os bombeiros afirmam que ainda estão no local fazendo trabalho de prevenção, de modo a evitar que o fogo recomece.

Na esquina da rua Santa Clara com a Tonelero, o trânsito acabou ficando congestionado em razão do incêndio.

Em 2020, um incêndio atingiu o Hospital e Clínica de São Gonçalo, na região metropolitana do Rio. Pelo menos uma pessoa morreu e outras três ficaram feridas. As chamas teriam atingido o CTI (centro de terapia intensiva) no quinto andar do prédio e se iniciado após uma explosão.

Em outubro do mesmo ano, um curto-circuito no quadro de disjuntores do Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca (zona oeste), também causou um princípio de incêndio sem vítimas.

No mesmo mês, foi a vez do Hospital Federal de Bonsucesso, novamente na zona norte, onde morreram duas mulheres que estavam internadas em estado grave com Covid-19 e um homem. Um relatório do próprio governo federal feito um ano antes indicava que a unidade não tinha um plano de combate a incêndio.

Já em setembro de 2019, o Hospital Badim, unidade da Rede D'Or no Maracanã, pegou fogo e causou ao menos 13 óbitos, sendo 11 pacientes que morreram no dia e mais dois posteriormente. A direção do hospital afirmou na época que, ao que tudo indica, o incêndio havia sido provocado por um curto-circuito em um gerador no subsolo do prédio mais antigo.

Dois meses depois, houve um princípio de incêndio no Hospital Balbino, em Olaria (zona norte), mas ninguém ficou ferido.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos