Incêndio em orfanato no Haiti mata 15 crianças

Um incêndio em um orfanato matou ao menos 15 crianças nos arredores de Porto Príncipe, capital do Haiti. Segundo a agência de notícias Associated Press, o abrigo seria coordenado pela Igreja do Entendimento da Bíblia, sediada no estado americano da Pensilvânia.

Uma enfermeira no Hospital da Missão Batista, próximo ao orfanato, confirmou à AP a morte de 13 crianças. Há divergências sobre a idade das crianças: algumas fontes dizem que elas teriam entre três e 18 anos. Outras afirmam que metade dos mortos seriam bebês ou crianças pequenas — os outros teriam entre 10 e 11 anos.

O fogo teria começado por volta das 21h de quinta-feira e, segundo sobreviventes, o local estava sendo iluminado por velas dado a problemas no gerador de energia. Os bombeiros teriam levado cerca de 90 minutos para chegar ao local. Segundo um funcionário da Defesa Civil, não havia oxigênio ou ambulâncias necessárias para atender as crianças.

— Elas poderiam ter sido salvas — disse Jean-François Robenty à AP, afirmando que outros corpos ainda podem estar sob os escombros. — Nós não tínhamos os equipamentos necessários para resgatá-las.

País mais pobre da América Latina, Porto Príncipe passa por uma grave crise econômica política e social, agravada pelo catastrófico terremoto de 2010, que deixou mais de 200 mil mortos. O Haiti sofre com a falta de produtos básicos e com gravíssimos problemas de infraestrutura, que dificultam ainda mais a vida da população.

Segundo a Associated Press, os dois abrigos coordenados pela Igreja do Entendimento da Bíblia vinham, há anos, apresentando uma série de problemas. Em 2012, a organização perdeu seu direito de manter orfanatos no país após inspetores constatarem superlotação, condições insalubres e pessoal desqualificado para cuidar das crianças.

Repórteres da AP fizeram uma visita aos abrigos em 2013, encontrando instalações sujas, escuras e maltratadas. Os abrigos fazem parte do "programa de treinamento cristão" da Igreja americana, que atua no Haiti desde 1977. No ano passado, a organização arrecadou US$ 6,6 milhões e gastou aproximadamente US$ 2,2 milhões.