Incêndio em parque de Fortaleza atinge ao menos 20 hectares

·2 min de leitura

RECIFE, PE (FOLHAPRESS) - O Parque Ecológico do Cocó, em Fortaleza (CE), foi atingido por um incêndio entre a noite desta quarta-feira (17) e o começo da tarde desta quinta (18). As chamas se alastraram pela área de vegetação da unidade, e a fumaça se propagou por diversos bairros no entorno.

O fogo afetou pelo menos 20 hectares de vegetação na noite da quarta. Ainda não há confirmação das causas do incêndio.

O incêndio chegou a ser controlado na quarta, mas recomeçou durante a madrugada. Por volta das 12h desta quinta, ainda havia focos de incêndio. O combate só terminou no começo da tarde.

Ruas dos bairros de Aerolândia, São João do Tauape, Vila União e Montese amanheceram cobertas pela fumaça.

Em nota divulgada por volta das 10h, o Corpo de Bombeiros do Ceará informou que o incêndio tinha focos aparentes, mas também "muitos subterrâneos e alguns em copa".

No mesmo horário, quatro dos 12 focos do fogo recebiam jatos de 500 litros de água, disparados do alto por um helicóptero que fazia parte da operação.

Pela manhã, os ventos fortes na região, a 31 quilômetros por hora, dificultaram o trabalho dos brigadistas. Isso porque a força do vento elevou a combustão do fogo e ajudou a disseminar as chamas pela área, além de espalhar fumaça.

A operação de combate ao incêndio contou com pelo menos seis equipes do Corpo de Bombeiros do Ceará e 18 brigadistas florestais da Secretaria de Meio Ambiente do Estado. Como o local é de difícil acesso, o combate precisou ser predominantemente manual às chamas.

O fogo afetou a biodiversidade da região, pois consumiu capim e plantas aquáticas, segundo informações dos bombeiros. Além disso, animais precisaram ser resgatados pelos brigadistas.

O trânsito também foi impactado em Fortaleza. Em duas das principais avenidas da cidade, a Raul Barbosa e a Murilo Borges, a visibilidade ficou comprometida por causa da fumaça.

Também houve bloqueio no trânsito de ruas e avenidas próximas ao parque, o que causou dificuldade na fluidez do tráfego no horário de pico pela manhã e alterou a circulação de linhas de ônibus.

Moradores das imediações do parque também relataram que casas foram afetadas pela fuligem, uma substância preta proveniente do fogo.

Algumas pessoas tiveram que deixar as suas residências diante do cheiro forte e foram dormir em casas de parentes ou amigos. Quem não teve para onde ir precisou suportar as adversidades durante a madrugada.

Pelas redes sociais, o prefeito de Fortaleza, José Sarto (PDT), disse que a prefeitura monitora a situação no Parque do Cocó.

"Estamos monitorando a situação e temos também equipes da Guarda Municipal prestando apoio no local. Além disso, coloquei-me à disposição do Governo do Estado para o que mais for necessário", afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos