Incêndio que matou até 27 em clínica do Japão pode ter sido proposital

·2 min de leitura
Bombeiros em prédio onde ocorreu o incêndio em Osaka, oeste do Japão

Por Kiyoshi Takenaka

OSAKA, Japão (Reuters) - O fogo devastou uma clínica psiquiátrica da cidade japonesa de Osaka nesta sexta-feira, podendo ter deixado 27 mortos, e a polícia está investigando um possível incêndio proposital desde que a mídia noticiou que um homem espalhou um líquido que alimentou as chamas.

O incêndio começou no quarto andar de um edifício de escritórios em um distrito movimentado da cidade do oeste perto das 10h, disse a emissora pública NHK.

"A maioria das pessoas que perderam a vida podem ser profissionais médicos ou pacientes na clínica. É insuportável", disse Yumiko Inoue, uma médica de um hospital próximo, à Reuters enquanto observava as janelas chamuscadas do prédio do outro lado da rua.

Um homem que parecia estar na casa dos 50 ou 60 anos com uma sacola repleta de líquido foi visto entrando no edifício, onde a depositou perto de um aquecedor e a derrubou, espalhando o líquido e começando o incêndio, relatou a agência de notícias Kyodo News.

Outros veículos de mídia disseram que se acredita que o homem era um paciente da clínica e que carregava uma sacola vazando líquido na área de recepção antes de o fogo começar.

O homem que se acredita ter causado o incêndio foi levado ao hospital e está em estado crítico, segundo a NHK.

As mortes de 24 pessoas foram confirmadas, disse a NHK. Uma autoridade do corpo de bombeiros de Osaka havia dito à Reuters mais cedo que 27 pessoas sofreram parada cardíaca, o termo usado no Japão antes de uma morte ser confirmada oficialmente.

A maior parte do incêndio foi extinto em 30 minutos, de acordo com a NHK, depois de se alastrar por um cômodo estreito de 20 metros quadrados da clínica. Imagens mostraram fumaça emanando de uma das janelas do quarto andar e do teto do edifício.

Localizado em um distrito de compras e entretenimento pouco distante da principal estação de trens de Osaka, o prédio também abriga um salão de beleza, uma loja de roupas e uma escola de inglês, informou a NHK.

"Quando olhei para fora, vi chamas laranja na janela do quarto andar do edifício. Uma mulher estava acenando com as mãos para pedir ajuda na janela do sexto andar", disse uma mulher de 36 anos que trabalha em um escritório próximo à Kyodo News.

Até a noite, a maioria dos caminhões dos bombeiros tinha partido e as janelas queimadas e quebradas da clínica estavam cobertas com lona azul.

O primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida, ofereceu condolências e disse que as autoridades estão trabalhando para determinar a causa.

O pai de um médico que administrava a clínica disse que não estava conseguindo contatá-lo pelo celular, como contou ao jornal Yomiuri.

(Por Kiyoshi Takenaka, Rocky Swift, Sakura Murakami, Daniel Leussink e Makiko Yamazaki)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos