Incêndios fecham cidade, suspendem aulas e deixam feridos em rodovias de SP

·4 minuto de leitura
***ARQUIVO***CABREÚVA, SP, BRASIL,  Fotos da Serra do Japi, em sua área que pertence ao município de Cabreúva, que vem sendo consumida por um incêndio desde a semana passada. (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)
***ARQUIVO***CABREÚVA, SP, BRASIL, Fotos da Serra do Japi, em sua área que pertence ao município de Cabreúva, que vem sendo consumida por um incêndio desde a semana passada. (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)

RIBEIRÃO PRETO E SANTOS, SP (FOLHAPRESS) - Uma série de incêndios levou o caos para o interior de São Paulo nos dois últimos dias. O fogo causou acidentes em estradas, interditou rodovias e praticamente isolou a cidade de Batatais, na região de Ribeirão Preto.

A combinação entre a falta de chuvas e a vegetação seca fez com que o ar ficasse péssimo em alguns municípios. A situação levou diversas empresas a dispensar seus funcionários, e muitas escolas, a suspenderem as aulas.

Os focos de incêndio estão pulverizados por todo o estado, com problemas registrados nas regiões de Bauru, Campinas, São José do Rio Preto e Presidente Prudente, , além da região metropolitana da capital, de acordo com o major Marcos Palumbo, do Corpo de Bombeiros

Depois de agosto ter registrado o terceiro maior número de incêndios dos últimos cinco anos, a preocupação é que a situação piore ainda mais agora em setembro, disse Palumbo.

"Temos um pico de ocorrências e um mês bastante seco. É impossível controlar a atual situação, é necessário conscientização da população. Precisamos apagar muitos de forma manual, nos afastando do caminhão com água, em uma condição de combate lenta e que coloca em risco os bombeiros. Em algumas ocorrências nem conseguimos chegar", disse o major.

Em Mococa (a 339 km de São Paulo), dois incêndios na zona rural mobilizaram moradores e autoridades locais nesta quinta-feira (9).

De acordo com a coordenadoria do meio ambiente e a Defesa Civil do município, em apenas um dia a área atingida pelo cresceu de 2 km para 6 km.

A rodovia SP-340, administrada pela concessionária Renovias e que atende a região, ainda não foi fechada, mas apresenta trânsito lento nesta quinta devido à forte fumaça.

"O fogo se alastrou rapidamente. Está muito difícil conter e já retiramos duas famílias daqui hoje. Ele já atravessou o rio Pardo e chegou a Tambaú [município vizinho]", disse Milena Xavier, coordenadora ambiental do município.

O incêndio no município começou na manhã de quarta (8) em uma plantação de cana de açúcar. Até o momento, os bombeiros não conseguiram controlar as chamas, mesmo com o uso de cinco tratores com mil litros de água cada um e de sete caminhões cedidos pela usina Ipiranga com 15 mil litros cada, além do auxílio de trabalhadores rurais.

Já em Batatais, a prefeitura decidiu cancelar as aulas na cidade nesta sexta-feira (9) e recomendar a suspensão de atividades físicas até o final de semana devido ao fogo.

Só entre quarta e quinta foram registrados mais de uma dezena de focos de incêndio em fazendas, matas e na área urbana da cidade. As chamas e a fumaça transformaram a cor do céu no município, que ficou laranja.

Além disso, dois trechos da rodovia Candido Portinari. que corta o município, foram interditados, causando um congestionamento com mais de três quilômetros de extensão.

As indústrias da região também liberaram seus funcionários mais cedo nesta quinta, já devido à falta de condições para continuarem no trabalho.

"A umidade do ar está muito baixa nesse momento e as queimadas estão ocorrendo na região nordeste do estado de São Paulo [...] Tivemos um aumento no dia de hoje de atendimentos relacionados à inalação de fumaça e isso nos preocupa", disse a secretária da Saúde, Bruna Toneti.

Até mesmo a campanha de vacinação contra a Covid-19, marcada para o fim da tarde desta sexta para adolescentes de 12 a 14 anos, está ameaçada, caso a situação climática não melhore na cidade.

Para agravar ainda mais a situação, os incêndios provocaram quedas de energia elétrica durante todo o dia, o que comprometeu o abastecimento de água da cidade.

"A população deve economizar o máximo possível, pois boa parte da cidade ainda vai demorar para ter o abastecimento normalizado", diz comunicado da prefeitura.

Outra cidade que teve problemas foi Franca (a 400 km de São Paulo). Pelo segundo dia consecutivo, um trecho da Candido Portinari que passa pelo município foi interditado devido a um incêndio.

Na rodovia Anhanguera, houve interdições em Jardinópolis, nos kms 329 e 340, devido às queimadas. Já em Aramina, o trânsito apresenta lentidão.

Por causa dos incêndios, seis pessoas ficaram feridas, uma em estado grave, em acidentes na rodovia Deputado Leônidas Pacheco Ferreira, entre Borborema e Novo Horizonte, na noite de quarta-feira (8).

Todas as vítimas foram encaminhadas para a Santa Casa de Novo Horizonte, sendo que três foram transferidos para hospitais de Catanduva e Marília.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos