Incêndio em hospital deixa 11 mortos; Bombeiros encerram buscas

Marcos Vidal/Futura Press

O incêndio que atingiu o Hospital Badim, no bairro do Maracanã, na zona norte do Rio de Janeiro, na noite da última quinta (12) matou 11 pessoas - duas identificadas - e deixou pelo menos quatro bombeiros feridos, informou o Corpo de Bombeiros nesta sexta (13).

Até as 7h50 (Brasília) desta sexta, haviam sido reconhecidos os seguintes corpos:

  • Irene Freiras de Brito, 84;

  • Luzia dos Santos Melo, 88;

A direção do hospital abriu os canais suportefamiliares@badim.com.br e 97101-3961 (com acesso ao WhatsApp) para atender parentes.

Leia também

O combate às chamas no Hospital Badim, da Rede D`Or São Luiz, começou na noite de quinta-feira e invadiu a madrugada, de acordo com nota dos bombeiros.

Cerca de 90 pacientes que estavam na unidade no momento do início das chamas precisaram ser transferidos para outras unidades, e o transporte contou com ambulâncias de diversos hospitais, além das vitaturas dos bombeiros.

O incêndio teria sido causado por um curto-circuito no prédio antigo do hospital, que passou recentemente por uma obra para reformas e expansão, de acordo com suspeita dos bombeiros. A corporação, no entanto, destacou que a apuração de causas não faz parte do escopo de atuação do Corpo de Bombeiros.

Segundo testemunhas, o fogo se alastrou rapidamente, causando pânico e correria dentro da unidade. Médicos, enfermeiros e funcionários do hospital, além de parentes dos pacientes, se mobilizaram para socorrer pessoas internadas.

As vítimas fatais teriam inalado muita fumaça e tiveram intoxicação.

No momento do incêndio, havia 103 pessoas internadas no hospital, que lamentou o ocorrido. “O Hospital Badim mais uma vez externa sua imensa tristeza diante do ocorrido“, disse o hospital em nota.

A cidade do Rio de Janeiro decretou luto devido ao incêndio.

A última nota oficial do hospital foi divulgada na madrugada desta sexta, leia:

A direção do Hospital Badim continua acompanhando o trabalho do Corpo de Bombeiros. Os familiares dos pacientes e funcionários envolvidos no episódio receberam atendimento pelo comitê de apoio do hospital, inclusive de uma assistente social.

Todas as providências estão sendo tomadas para acolher as famílias. Informamos que a direção do hospital irá se pronunciar após a inspeção do Corpo de Bombeiros e da Polícia Civil, que deve acontecer ainda na manhã desta sexta feira (13/9).

Com REUTERS