Indígena de 14 anos é morto em emboscada, afirma entidade

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHARPESS) - Um indígena de 14 anos foi morto na madrugada deste domingo (4) na terra indígena Comexatibá, no sul da Bahia, de acordo com entidades da região.

Segundo o Mupoiba (Movimento Unido dos Povos e Organizações Indígenas da Bahia), uma aldeia pataxó foi atacada por pistoleiros. A entidade afirma que foram encontrados cartuchos deflagrados de espingardas e fuzis, além de bombas de gás lacrimogêneo.

"O extremo sul da Bahia é conhecido por ser a segunda região onde há mais ataques contra os povos indígenas no Brasil. Recentemente, algumas comunidades indígenas da região vêm passando por uma série de ataques de pistoleiros e fazendeiros e milicianos armados", diz a nota da entidade.

"Desde o mês de julho, foram registrados diversos ataques contra as lideranças e as comunidades indígenas. Em algumas ocasiões, foram disparados tiros contra as comunidades e expulsão dos indígenas das áreas ocupadas pelos grupos armados."

A Terra Indígena Comexatibá é delimitada pela Funai há alguns anos. Porém, a demarcação ainda não foi finalizada e homologada, motivo pelo qual ainda não se iniciou o processo de retirada de não indígenas da área.

A Polícia Federal, o Ministério Público Federal e a Funai já foram acionadas. A Polícia Civil da Bahia afirmou que ainda vai realizar perícia na região para esclarecer a dinâmica dos fatos.