Indígenas cancelam ato que ocorreria nesta terça em Brasília

·1 minuto de leitura
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF - 02.10.2013: PROTESTO/ÍNDIOS/DF - Os índios no DF (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF - 02.10.2013: PROTESTO/ÍNDIOS/DF - Os índios no DF (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Indígenas que estão em Brasília para pressionar o STF (Supremo Tribunal Federal) a vetar o marco temporal para demarcação de terras decidiram cancelar os atos que realizariam terça-feira (7) na capital.

Acampados em uma área que fica a aproximadamente 3 KM da Esplanada dos Ministérios, os povos tradicionais pretendiam iniciar a Marcha das Mulheres Indígenas com manifestações nas ruas.

No entanto, para evitar confrontos, decidiram se resguardar e permanecer no acampamento.

"Tememos possibilidade de confronto. A gente vai aguardar decidirem a nova data, vamos decidir se realizamos nossa manifestação amanhã ou depois", relata a líder indígena Lua Ayrè.

De acordo com Ayrè, os cerca de 2 mil indígenas que estão no local não vão se envolver em nenhum dos dois protestos desta terça. A poucos metros do acampamento, ocorre o Grito dos Excluídos, protesto organizado por grupos de esquerda, contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

"Não estamos aqui para ter luta física com ninguém. Estamos aqui para lutar por recursos naturais, por nossa terra. A nossa luta é espiritual, com nossos ancestrais", completa Ayrè.

A Polícia Militar faz a segurança do acampamento. Ao longo do dia, caravanas com indígenas de todo o Brasil devem chegar ao local. Eles pretendem realizar outros atos até o próximo sábado (11).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos