Indígenas e negros na Colômbia entregam mandato simbólico a esquerdista Petro

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Povos indígenas, afrodescendentes, ciganos e agricultores da Colômbia entregaram o mandato presidencial ao esquerdista Gustavo Petro em uma cerimônia simbólica em Bogotá, na véspera de sua posse oficial em 7 de agosto.

"Recebo com grande emoção este mandato popular e espiritual", disse o ex-senador e ex-guerrilheiro de 62 anos após participar de um ritual ancestral em um parque central da capital.

Milhares de pessoas agitaram bandeiras de diferentes organizações sociais e gritaram palavras de ordem em favor do primeiro governo de esquerda da história da Colômbia.

As comunidades entregaram ao presidente um documento com suas principais demandas: paz em territórios remotos, defesa do meio ambiente, proteção das minorias, transformação das políticas antidrogas, defesa dos direitos humanos, renovação das forças armadas, entre outras.

“Compartilhamos nosso profundo sentimento de felicidade e responsabilidade pela chegada deste projeto político nascido nas entranhas dos povos e caracterizado pelo interesse em contribuir para a mudança”, disse uma das porta-vozes indígenas.

Petro assumirá o poder no domingo para substituir o conservador Iván Duque (2018-2022) em um mandato de quatro anos, sem possibilidade de reeleição por ordem constitucional.

Em um país de 50 milhões de habitantes, castigado pela inflação (10,2% interanual), desemprego (11,7%) e pobreza (39%), o governo eleito propõe uma bateria de reformas para reduzir o abismo entre ricos e pobres , proteger o meio ambiente, entre outros propostas.

lv/vel/dg/jc

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos