Indústrias ampliam estoques de matérias-primas para enfrentar impacto da Ômicron

·1 min de leitura

O avanço da variante Ômicron do novo coronavírus já aparece no radar de empresas de diversos setores e economistas como responsável por um novo revés na cadeia global de suprimentos.

Uma nova leva de afastamento de trabalhadores e restrições à mobilidade em países como a China deve agravar os problemas da logística internacional de transportes, que já se reflete na alta dos preços de matérias-primas.

Por isso muitas empresas estão mudandos suas estratégias. A saída tem sido antecipar compras para reforçar estoques ou revisar planos.

A indústria têxtil, por exemplo, começou o ano pagando muito mais pelo algodão, cuja cotação no mercado internacional voltou a bater recordes como na fase mais aguda da pandemia, iniciada em 2020.

Outros setores econômicos estão se reorganizando neste início de ano. Entenda como isso pode afetar a economia global e a brasileira, acessando a reportagem completa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos