Indústrias de aviação e telecomunicações dos EUA avançam em negociação sobre 5G

·2 min de leitura
Instalação de antena de telecomunicação da Verizon, em Utah (EUA)

Por David Shepardson

WASHINGTON (Reuters) - As indústrias de aviação e telecomunicações dos Estados Unidos conseguiram progresso para lidar com as preocupações sobre a segurança aérea diante de possível interferência das transmissões de telecomunicações 5G na operação de aeronaves.

O grupo de telecomunicações CTIA, a Airlines for America e a Aerospace Industries Association afirmaram em declaração conjunta que "após discussões produtivas, vamos trabalhar juntos para compartilhar os dados disponíveis de todas as partes para identificarmos as áreas específicas de preocupação para a aviação".

"Os melhores especialistas e técnicos de ambas as indústrias trabalharão coletivamente para identificar um caminho a seguir, em coordenação" com a Federal Communications Commission (FCC) e a Federal Aviation Administration (FAA), segundo o comunicado.

"Trabalhando de forma colaborativa e de boa fé em uma solução baseada em dados, podemos alcançar nosso objetivo comum de implantar o 5G enquanto preservamos a segurança da aviação", acrescentaram os grupos.

AT&T e Verizon, que venceram um leilão de frequência de 80 bilhões de dólares, têm planos para implantar a banda C do espectro 5G no início de janeiro.

Tanto a indústria de aviação quanto a FAA levantaram preocupações sobre a potencial interferência do 5G com componentes eletrônicos sensíveis de aeronaves, como altímetros de rádio.

A FAA afirmou se sentir satisfeita que os fabricantes de aeronaves e empresas de telecomunicações "estão tomando medidas para testar o desempenho de dezenas de altímetros de rádio no ambiente 5G de alta potência previsto para os Estados Unidos".

A entidade acrescentou que funcionará "para garantir que o teste forneça margens de segurança adequadas e considere a variedade de sistemas de segurança que dependem de informações precisas de altímetros de rádio".

A Airlines for America disse que se a diretiva da FAA sobre o 5G estivesse em vigor em 2019, cerca de 345 mil voos de passageiros e 5.400 voos de carga teriam enfrentado atrasos, desvios ou cancelamentos.

A CTIA disse que o 5G é seguro e que o espectro está sendo usado em cerca de 40 outros países. A CTIA já havia acusado a indústria da aviação de fomentar medo e distorcer os fatos em torno da tecnologia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos