Indicador Antecedente de Emprego no Brasil vai a máxima desde início da pandemia em junho, diz FGV

·1 minuto de leitura
Anúncios de emprego no centro de São Paulo

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O Indicador Antecedente de Emprego no Brasil registrou em junho seu maior patamar desde o início da pandemia de Covid-19, refletindo sinais de melhora no cenário econômico e sanitário, informou nesta terça-feira a Fundação Getulio Vargas (FGV).

O IAEmp, que antecipa os rumos do mercado de trabalho no Brasil, saltou 4,2 pontos em junho, a 87,6 pontos, seu maior patamar desde fevereiro de 2020 (92,0 pontos).

"A recuperação econômica, a redução do número de mortes por Covid e a flexibilização das medidas restritivas parecem contribuir com a melhora do cenário", disse em nota Rodolpho Tobler, economista da FGV Ibre.

Segundo a FGV, todos os componentes do IAEmp contribuíram para a alta do mês, mas o principal responsável pelo resultado de junho foi o indicador que mede a tendência dos negócios no setor de Serviços, com ganho de 8,1 pontos.

Apesar da leitura promissora de junho e das expectativas de continuidade da recuperação nos próximos meses, "ainda existe muita incerteza", alertou Tobler. "O avanço da vacinação e o controle da pandemia continuam sendo fundamentais para o processo de retomada."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos