Indultos de Trump a partidários políticos provocam indignação

Paul HANDLEY
·3 minuto de leitura
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, causou indignação ao conceder indultos a apoiadores políticos

O presidente Donald Trump provocou indignação nesta quarta-feira após conceder indultos a congressistas republicanos corruptos e ex-agentes de segurança privada condenados pela morte de 14 civis em um massacre em Bagdá, em 2007.

Trump concedeu o indulto executivo na segunda-feira a pessoas que lhe mostraram forte apoio político, e a ex-soldados e oficiais de segurança condenados por assassinatos quando trabalhavam no Iraque.

Os iraquianos expressaram indignação e tristeza depois que Trump perdoou quatro agentes de segurança contratados pela Blackwater, uma empresa de segurança privada que presta serviços para o governo americano, que foram condenados por assassinato e homicídio culposo há seis anos pelo massacre de Nisur Plaza.

Os quatro, todos ex-militares norte-americanos, abriram fogo sem provocação na movimentada praça em 2007, em um episódio que deixou pelo menos 14 civis mortos - embora as autoridades iraquianas falem em 17 mortos. O massacre afetou profundamente as relações entre os Estados Unidos e o Iraque.

Mas o dono da Blackwater, rebatizada de Academi, é Erik Prince, um aliado próximo de Trump e irmão da secretária de Educação, Betsy DeVos.

- "Vergonha" -

"Eu sabia que nunca obteríamos justiça", disse à AFP Fares Saadi, o policial iraquiano que liderou as investigações.

Um ex-colega de classe de um estudante de medicina assassinado em Nisur chamou os indultos de "um escândalo total", mas disse que não eram surpreendentes.

"Para eles, nosso sangue é mais barato do que água e nossas demandas por justiça e responsabilidade nada mais são do que um incômodo", criticou o cidadão iraquiano, que pediu para permanecer anônimo.

O general da reserva dos Estados Unidos Mark Hertling, que serviu no Iraque, classificou os indultos de "terríveis e nojentos".

"Este foi um crime de guerra covarde que resultou na morte de 17 civis iraquianos. Que vergonha, senhor presidente", tuitou Hertling.

Trump também concedeu indultos a dois homens condenados por interferência eleitoral em sua campanha de 2016 e a três ex-congressistas republicanos que o grupo de vigilância Cidadãos pela Responsabilidade e a Ética em Washington (CREW) classificou de três dos "legisladores mais corruptos da história recente". Todos os cinco foram francos como apoiadores de Trump.

"A mensagem que Trump enviou esta noite é clara: não importa o quão terrível foi o crime, a justiça não se aplica se você for leal a ele", disse a CREW.

De acordo com uma análise do professor de direito da Universidade de Harvard Jack Goldsmith e um assessor, Matthew Gluck, pelo menos 42 dos 65 indultos que Trump concedeu até agora foram "para avançar uma agenda política", enquanto apenas cinco foram recomendados pelo advogado oficial de indulto da Casa Branca.

Os indultados, ou cujas sentenças foram comutadas, incluem outras figuras condenadas na investigação de interferência russa durante a campanha presidencial de 2016 e uma ampla mistura de ativistas pró-Trump condenados por crimes graves.

O congressista democrata Adam Schiff acusou Trump de fomentar atividades ilegais.

“Se você mentir para encobrir o presidente, você consegue um perdão. Se você é um político corrupto que apoiou Trump, você consegue um perdão. Se você assassinar civis durante a guerra, você consegue um perdão”, criticou.

pmh/st/mps/am