Inflação, estrutura, segurança: França tem “corrida de obstáculos” a dois anos dos JO de Paris

AFP/Archives

Os principais jornais franceses desta terça-feira (26) tratam da contagem regressiva para os Jogos Olímpicos de Paris. Daqui a exatamente dois anos, em 26 de julho de 2024, a capital francesa será palco do maior espetáculo esportivo do planeta. Mas, até lá, restam muitas etapas a serem cumpridas.

"Segurança, orçamento, corrida de obstáculos para os Jogos Olímpicos de Paris" é a manchete do jornal Le Figaro. Para o diário, o desafio é "colossal". Os quase 14 milhões espectadores que são esperados nos cerca de 40 locais de competição - além dos 3,5 bilhões de telespectadores - colocarão à prova uma organização que deverá dar conta da capacidade de acolhimento, segurança sanitária, riscos terroristas, etc.

Para o jornal conservador, não restam dúvidas que a segurança deve ser a prioridade número 1 das autoridades francesas, especialmente depois do caos da final da Liga dos Campeões em Paris, no último 28 de maio. Será "um verdadeiro quebra-cabeças" para as forças de ordem, prevê Le Figaro, ressaltando que entre 7 mil e 11 mil policiais serão mobilizados por dia para garantir a segurança das competições.

"Paris 2024: Macron à prova olímpica" é a matéria de capa do jornal Libération, estampada com uma foto do Discóbolo, célebre obra do escultor grego Míron. Na ilustração, a cabeça deste icônico lançador de disco tem o rosto do presidente francês, Emmanuel Macron.

"Infraestruturas gigantes, equação financeira, gerenciamento de multidões. O comitê de organização dos Jogos Olímpicos da capital tem de arcar com numerosos desafios", ressalta o Libé. Em editorial, o diário expressa sua preocupação com o avanço das obras para o acolhimento do evento e todos os outros problemas que o governo pena para lidar neste momento de caos geopolítico, como a inflação galopante, e todas as dificuldades econômicas potencializadas pela guerra na Ucrânia.

Indiferentes à Olimpíada

"O que os franceses esperam dos Jogos Olímpicos" é a principal manchete da primeira página Le Parisien. O diário traz o resultado de uma pesquisa, feita pelo instituto OpinionWay, sobre o sentimento da população em relação ao evento, em que 47% dos entrevistados se dizem indiferentes à Olimpíada.

De acordo com a sondagem, 65% das pessoas consultadas apoiam o apoteótico projeto de cerimônia que terá o Rio Sena como pano de fundo. Mas 40% delas temem que isso implique em um aumento nos impostos. Diante das dificuldades financeiras que os franceses enfrentam neste momento, apenas 12% dos entrevistados planejam comprar ingressos para as competições.

Em entrevista ao jornal esportivo francês L'Equipe, Macron garante que não haverá nenhum imposto relacionado à organização da Olimpíada. Os “Jogos devem financiar os Jogos", garante o presidente francês.

De acordo com a presidência francesa, o governo está dialogando com o Comitê Olímpico Internacional para encontrar soluções ao orçamento de quase € 8 bilhões*. Macron também promete uma "bilheteria popular", com 50% dos ingressos para as competições a menos de € 50 e 1 milhão de ingressos a menos de € 24. Ele afirma ainda que o Estado vai comprar 400 mil ingressos para doar aos jovens, principalmente os menores de 16 anos.

*A matéria foi atualizada com o valor correto

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos