Inflação do Dia das Mães é a maior em 20 anos, aponta FGV

Inflação do Dia das Mães é maior em 20 anos, aponta FGV
Inflação do Dia das Mães é maior em 20 anos, aponta FGV
  • O aumento médio dos produto procurados na data foi de 9,07% nos últimos 12 meses;

  • Só menor do que em em 2003, quando o reajuste chegou a marca de 10,83%;

  • O segmento de cama, mesa e banho teve aumento de 11,04%

Os produtos e serviços procurados no Dia das Mães sofreram o maior salto inflacionário nos últimos 20 anos, foi o que apontou um levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE). O aumento médio, que nos últimos 12 meses, foi de 9,07%, só é menor do que em 2003, quando o reajuste chegou a marca de 10,83%. A pesquisa considerou 31 opções do Índice de Preços ao Consumidor - Mercado (IPC-M).

Os bens duráveis e semiduráveis na opção de presentes tiveram uma valorização média de 4,25%, na cesta de 22 itens. O segmento de cama, mesa e banho teve aumento de 11,04%, geladeira e freezer subiram 8,73%, máquina de lavar roupas, galopou 7,5%, micro-ondas cresceu 6,75% e roupas femininas 6,62%. Esses números evidenciam que o setor têxtil e de eletrodomésticos foram os mais afetados pela inflação no período.

No setor de serviços, destaca-se o turismo, que segundo o pesquisador e economista do FGV IBRE Matheus Peçanha, é um segmento que teve um aumento de demanda em 2022 por conta das restrições mais severas que vigoravam nos anos anteriores em decorrência da pandemia da Covid-19.

Mesmo que este ano tenha batido o recorde de inflação, alguns produtos semiduráveis sofreram pouco reajuste em relação a 2021, são eles: perfume (0,15%), computadores e periféricos (0,34%), celulares (0,65%), artigos de maquiagem (0,92%) e fogão (1,97%).

Brasil tem a 3ª maior inflação entre as grandes economias

O Brasil tem a terceira maior inflação entre as maiores economias do mundo, mostra um relatório divulgado nesta quarta-feira (4) pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico). Com inflação em 11,3%, o país só fica atrás da Turquia, com 61,1% e da Argentina, com 55,1%.

A inflação brasileira, medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), atingiu 11,3% no acumulado em 12 meses até março. O índice é o maior para março em 28 anos, com maior peso no preço dos combustíveis.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos