Influencer que provocou Greta Thunberg com carros poluidores é preso; Entenda

Homem é acusado de estupro e tráfico humano

Andrew Tate foi detido com o irmão, Tristan, após ter a casa invadida na capital romena; Detenção ocorreu após provocação a Greta Thunberg
Andrew Tate foi detido com o irmão, Tristan, após ter a casa invadida na capital romena; Detenção ocorreu após provocação a Greta Thunberg

O controverso influenciador britânico Andrew Tate foi detido na quinta-feira (29/12) na Romênia como parte de uma investigação de estupro e tráfico humano.

Tate, que foi detido com o irmão, Tristan, teve a casa invadida pela polícia na capital, Bucareste. Os dois estariam sendo investigados desde abril.

Ex-campeão de kickboxing, Tate ganhou fama em 2016, quando foi expulso da edição britânica do Big Brother por causa de um vídeo que parecia mostrá-lo agredindo uma mulher. E é conhecido pelas opiniões misóginas.

Na véspera da prisão, ele causou polêmica no Twitter ao provocar a ativista climática Greta Thunberg, que respondeu com um tuíte que se tornou viral.

Após o anúncio da prisão, surgiram especulações na rede social de que o conteúdo de um vídeo postado pelo próprio Tate em uma réplica a Greta poderia ter dado uma pista à polícia sobre sua localização.

Não se acredita, no entanto, que seja este o caso.

A troca de farpas com Greta

Greta Thunberg
A resposta de Greta Thunberg viralizou, gerando debate no Twitter

Tate voltou recentemente ao Twitter, onde tem mais de 3 milhões de seguidores, após ter sido banido da rede social em 2017 por dizer que as mulheres deveriam "assumir a responsabilidade" por serem agredidas sexualmente.

Assim como o ex-presidente dos EUA, Donald Trump, ele foi autorizado a reativar sua conta depois que Elon Musk assumiu a plataforma.

Na quarta-feira (28/12), Tate usou o Twitter para provocar a ativista climática Greta Thunberg, se gabando das altas emissões da sua coleção de carros.

"Olá @GretaThunberg, tenho 33 carros. Meu Bugatti tem um quad-turbo w16 8.0L. Minhas DUAS Ferraris 812 Competizione têm 6.5L v12s. É só o começo. Por favor, me passa seu e-mail para que eu possa enviar uma lista completa da minha coleção de carros e suas respectivas emissões enormes", tuitou o ex-campeão de kickboxing.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Ele publicou o tuíte acompanhado de uma foto em que aparece enchendo o tanque de gasolina de seu Bugatti.

A jovem ativista de 19 anos esperou algumas horas e respondeu com um tuíte viral, que pode ser traduzido como:

"Sim, por favor, me esclareça. Me mande um e-mail para energiadepenispequeno@arrumeoquefazer.com"

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Os usuários do Twitter não perderam tempo.

"Este é o tipo de resposta que agora o seguirá para sempre", escreveu uma pessoa, enquanto outra brincou:

"Isso é Thunberg diminuindo a temperatura global, congelando totalmente Tate".

O atleta tentou revidar, postando uma resposta bizarra em um vídeo de dois minutos, no qual fuma um charuto, e uma pessoa, que não aparece nas imagens, lhe entrega duas caixas de pizza.

"Obrigado por confirmar por meio do seu endereço de e-mail que você tem um pênis pequeno @GretaThunberg. O mundo estava curioso", escreveu ele na mensagem que acompanha o vídeo.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

A prisão dele aconteceu no dia seguinte à postagem.

Este vídeo deu origem a especulações na rede social de que seu conteúdo — que mostra duas caixas de pizza em cima de uma mesa, nas quais aparece o nome de uma pizzaria local — poderia ter ajudado a polícia a localizar Tate.

"As autoridades romenas precisavam de provas de que Andrew Tate estava no país, então eles supostamente usaram suas postagens nas redes sociais", tuitou a advogada especializada em direito digital Alejandra Caraballo, da Harvard Law School, compartilhando uma reprodução do vídeo postado por Tate no dia anterior.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Não se acredita, no entanto, que isso tenha acontecido.

A prisão na Romênia

Cidadão britânico nascido nos Estados Unidos, Tate se mudou para a Romênia há cinco anos.

A Diretoria de Investigação do Crime Organizado e Terrorismo (DIICOT) do país emitiu um comunicado sobre a prisão, mas não identificou Tate e o irmão — afirmou apenas que dois cidadãos britânicos e dois cidadãos romenos eram suspeitos de fazer parte de um grupo criminoso focado em tráfico humano.

Mas, de acordo com a agência de notícias Reuters, o advogado dos irmãos confirmou a prisão.

A DIICOT também divulgou um vídeo da operação policial, mostrando armas, facas e dinheiro à vista em uma sala.

"Os quatro suspeitos... parecem ter criado um grupo do crime organizado com o objetivo de recrutar, abrigar e explorar mulheres, forçando-as a criar conteúdo pornográfico destinado a ser visto em sites especializados por um preço", informaram os promotores, de acordo com a agência Reuters.

Um vídeo que circulou amplamente nas redes sociais parece mostrar Tate e o irmão sendo levados de uma casa de luxo.

Colecionador de polêmicas

Antes de ganhar fama mundial, Tate lutou profissionalmente como kickboxer e conquistou títulos mundiais.

Em 2016, ele entrou para a casa britânica do Big Brother, mas foi logo expulso após o vazamento de um vídeo que parecia mostrá-lo batendo em uma mulher com um cinto.

Na época da expulsão do programa, Tate disse que o vídeo havia sido editado, classificando-o de "uma mentira total na tentativa de me deixar mal".

Ele é conhecido por comentários controversos, muitas vezes descritos como misóginos.

E foi banido de outras plataformas de rede social, além do Twitter — como YouTube, Facebook, Instagram e, finalmente, do TikTok, que afirmou que "a misoginia é uma ideologia odiosa que não é tolerada".

As postagens dele em outros sites promovem a misoginia e possuem milhões de visualizações.

De acordo com a correspondente de desinformação e mídia social da BBC, Marianna Spring, seu conteúdo "despertou preocupações sobre o efeito que poderia ter no mundo real" no início deste ano.