Informe Mueller já é um sucesso editorial nos EUA

O procurador especial Robert Mueller, em 2013

O informe do procurador especial Robert Mueller sobre a ingerência russa na campanha presidencial dos Estados Unidos de 2016, divulgado na quinta-feira (22), já representa um sucesso editorial.

Nesta segunda-feira, três livros que citam o informe, sem seus fragmentos confidenciais, ficaram entre os cinco mais vendidos no site da Amazon no país, apesar de que as publicações estarão disponíveis a partir de 30 de abril.

Além dessas edições, uma obra sobre o informe já está disponível em formato de livro, impresso por outra editora.

A versão da editora Scribner, em colaboração com o Washington Post, ficou no topo das vendas da Amazon. A publicação terá uma tiragem inicial de 350.000 cópias, disse à AFP um porta-voz da Simon & Schuster, casa matriz da editora.

O livro de 736 páginas inclui um prólogo e comentários de dois jornalistas do Washington Post, Rosalind Helderman e Matt Zapotosky.

A Simon & Schuster também gravou um audiolivro, disponível para venda a partir desta segunda-feira.

Outra versão sobre o informe, publicada pela Skyhorse, ocupava nesta segunda-feira o segundo lugar em vendas na loja americana da Amazon. A terceira, da Melville House, estava na quinta posição.

A Melville House indicou que seriam feitas 200.000 cópias.

O informe conclui que não houve acordo entre a equipe de Trump e a Rússia durante a campanha presidencial de 2016 e destaca várias tentativas do presidente americano de atrapalhar as investigações.