Inglaterra ameniza medidas de lockdown, mas premiê Johnson pede cautela

Costas Pitas e Alistair Smout
·1 minuto de leitura
Pessoas caminham na London Bridge

Por Costas Pitas e Alistair Smout

LONDRES (Reuters) - A ordem para permanência em casa do lockdown da Inglaterra terminou nesta segunda-feira, e as pessoas podem se reunir ao ar livre em grupos de até seis pela primeira vez em quase três meses, mas o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, pediu cautela devido ao crescimento de casos de coronavírus na Europa.

Johnson anunciou um terceiro lockdown nacional na Inglaterra em 4 de janeiro, mas diz que planeja seguir adiante com uma estratégia "cautelosa e irreversível" de afrouxamento das restrições, sustentada por uma distribuição rápida de vacinas contra Covid-19.

É um contraste com a maior parte da Europa, à medida que Alemanha e França estão entre os países que lutam contra uma terceira onda de alta nas infecções e hospitalizações de Covid-19.

Johnson também alertou que as variantes do coronavírus representam um risco para a distribuição de vacinas do Reino Unido, que é a quarta mais veloz do mundo, só atrás de Israel, Emirados Árabes Unidos e Chile.

"Precisamos continuar cautelosos com casos aumentando através da Europa e novas variantes ameaçando nossa distribuição de vacinas", disse o premiê.

"Apesar dos relaxamentos de hoje, todos devem continuar a ser ater às regras, lembrar de mãos, rosto, espaço e ir tomar vacina quando convocados", acrescentou.

Instalações esportivas ao ar livre, como piscinas e quadras de tênis e basquete, poderão ser usadas a partir desta segunda-feira com limites a contatos sociais.

Mas mudanças mais substanciais, como a reabertura do varejo não essencial e negócios de hospitalidade ao ar livre, acontecerão só depois de 12 de abril, na melhor das hipóteses.