Ingressos de show clandestino de Belo variaram de R$ 15 a R$ 2 mil

Paolla Serra
·2 minuto de leitura

RIO - Os preços dos ingressos do show clandestino do cantor Marcelo Pires Vieira, o Belo, no pátio do Ciep 326 Professor César Pernetta, localizado no Parque União, no Complexo da Maré, Zona Norte do Rio, variaram de R$ 15 a R$ 2 mil. A informação consta no relatório da Delegacia de Combate às Drogas (DCOD), ao qual O GLOBO teve acesso. A especializada investiga as circunstâncias da apresentação e monitorou as redes sociais que ajudaram a promover e divulgar o evento.

De acordo com o documento, o valor para o público assistir o show de um espaço denominado “pista” saía a R$ 15. Uma foto mostra uma barraca com um cartaz com fotos de Belo vendendo esse tipo de ingresso em uma rua do Complexo da Maré.

Já as áreas próximas ao palco e ao camarote tinham preços mais altos: R$ 1.300, com direito a R$ 300 de consumação; R$ 1.500, com R$ 500 de consumo; e R$ 2.000, com R$ 700 para utilização no bar.

Documento: Nota fiscal do show de Belo na Maré foi emitida após início das investigações

A DCOD monitorou ainda perfis de Facebook e Instagram que fizeram publicações mostrando os preparativos do show. Em algumas imagens, é possível ver o material para a montagem do palco sendo organizado dentro do Ciep. Mensagens das páginas denotam a empolgação do público: “Está ficando lindo” e “Carna P.U.” são alguns dos textos postados.

Há também flagrantes de aglomeração na plateia. Trechos extraídos de contas do Instagram mostram dezenas de pessoas reunidas, tendo o palco ao fundo, entre a noite de sexta-feira, dia 12, e o início da manhã de sábado.

Diante das investigações, que levaram a prisão de Belo, de Celio Caetano e de Joaquim Henrique Marques Oliveira, acusados de serem sócios da empresa Série Gold Som e Iluminação, responsável pela organização da apresentação do artista, o evento que aconteceria nesta sexta-feira, dia 19, no mesmo lugar foi cancelado. Um perfil no Twitter intitulado “Parque União” publicou: “Hoje não teremos nosso baile do PU perante os acontecimentos”.